Tempo & Desprendimento

Ângela Maria Sampaio de Souza

Ainda bem que o tempo passa!

Já imaginaram o desespero de suportar uma “segunda-feira“ eterna?

A beleza de cada dia só existe porque não é duradoura.

Tudo que é belo não pode ser aprisionado porque pode perder sua beleza.

Um pássaro solto, pousando e cantando numa árvore, quanta beleza existe!

Se ele for aprisionado numa gaiola, ficará triste e com certeza seu canto não será o mesmo.

Assim somos nós!

Todo nosso encantamento está em sermos livres para observarmos as belezas existentes em nossas vidas.

Nossa liberdade está em mostrar toda nossa beleza que possuímos!

Muitas vezes aprisionamos o encantador mas o matamos de tristeza.

Amar talvez seja isso: ficar ao lado sem possuir, sem aprisionar.

Precisamos descobrir que há um encanto nosso a cada dia e descobrimos quando não retemos a vida.

Viver é exercício de desprendimento é deixar o tempo leve.

É uma vida antiga que se transforma em novidade, são coisas velhas que vão nos fazer feliz, basta tirarmos os obstáculos e deixar a vida seguir.

Não há tristeza nem felicidade que sejam eternas.

Não podemos nos prender em acontecimentos que parecem definitivos.

O tempo está passando!

Temos que abrir nossos olhos, há encantos escondidos por toda parte.

Temos sempre que nos lembrar do pássaro preso, ele só encanta quando não o possuímos.

Temos que compreender que para ser feliz basta querer.

A beleza não está no poder TER.

O tempo não nos permite voltar atrás.

Aproveite cada segundinho da vida, para ficar guardado na memória.

Viver é assim!!!!

(*) Ângela Maria Sampaio de Souza é Professora.

Compartilhe:
Instagram
0Shares

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *