Índice de Desenvolvimento Humano Ajustado à Desigualdade

Eduardo Pimenta (*)

Atualmente, o indicador de desenvolvimento mais utilizado é o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) do Programa das Nações Unidas. Assim como todas as médias, o IDH esconde disparidades no desenvolvimento humano de determinados países, e desconsidera outras variáveis importantes, como a desigualdade social. Uma nova versão do IDH, chamada de Índice de Desenvolvimento Humano Ajustado à Desigualdade (IDH D)leva em conta estas importantes disparidades.

A vinculação entre Pegada Ecológica e IDH D reforça a conclusão de que a maioria dos países com IDH D elevado melhorou o bem-estar de seus cidadãos à custa de uma Pegada Ecológica expressiva. A Pegada Ecológica é uma ferramenta de contabilidadeambiental que acompanha as demandas concorrentes da humanidade sobre a biosfera por meio da comparação da demanda humana com a capacidade regenerativa do planeta. O IDHD mede a desigualdade em cada uma das suas três dimensões, educação, expectativa de vida e renda per capita, descontando o valor médio de cada uma de acordo com seu nível de desigualdade.

Na perspectiva de que só temos um único planeta para viver, é imperativo o manejo, gestão e compartilhamento do capital natural dentro dos limites ecológicos da terra mediante a preservação do capital natural e restauração de ecossistemas e serviços ecossistêmicos prejudicados, interrompendo à perda de habitas prioritários e expandindo a rede mundial de áreas protegidas.

Produzindo melhor, reduzindo os insumos e resíduos nos sistemas de produção, manejando os recursos de forma sustentável e ampliando a produção de energias renováveis. Consumindo com mais prudência alcançando estilo de vida com baixa pegada ecológica, mudando os hábitos de consumo de energia e promovendo hábitos saldáveis de consumo.

Redirecionando fluxos financeiros valorizando a natureza, levando em consideração os custos ambientais e sociais, incentivando e recompensando conservação, manejo sustentável de recursos e a inovação tecnológica. Com governança equitativa e compartilhando os recursos disponíveis, fazendo escolhas juntas e bem informadas do ponto de vista ecológico e medindo o sucesso para alem do produto interno bruto.

(*) Professor, Biólogo, Ambientalista e Fotógrafo da Natureza.

Compartilhe:
Instagram
0Shares

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *