FOGO BRANDO

By: Marcelo de Paula

Queimaram Borba Gato! Muita gente se revoltou com isso, com o fogo numa estátua de uma figura que escravizou negros e índios, com apoio branco da colonização!

Mas pouca gente fica realmente indignada com que andam fazendo, ainda na atualidade, com os negros e povos indígenas!

Por hoje, vou ater à narrativa aos povos indígenas originários do Brasil e da América Latina!

As Nações Indígenas brasileiras vêm sofrendo todo tipo de invasão declarada: garimpeiros abrindo fogo e incendiando casas de várias tribos a luz do dia, jogando mercúrio nas águas que correm áreas demarcadas, matando líderes, desmatando com apoio do próprio Ministério do Meio Ambiente e sem ter respaldo ou defesa nem mesmo do órgão governamental competente para o tema, a Funai!

Senado e Câmara fazendo de tudo para aprovar Projetos de Lei, que vãoprejudicar ainda mais as Nações Indígenas e facilitar o expurgo defensório de suas terras! Isso sim é uma grande vergonha!

Os indígenas brasileiros vêm lutando na civilidade há tempos, mas a desordem, o caos, os assassinatos e a insegurança só aumentam contra eles!

Então está na hora de demonstrar essas injúrias de uma outra forma mais drástica, com o fogo e a alta fumaça numa estátua em São Paulo, para ver se alguém, se algum órgão de justiça, de fiscalização ou de criação de Leis, intercede favoravelmente aos indígenas de Norte a Sul do País!

Muita arma, muita bala e muita fala presidencial e de deputados e senadores ditando as regras de um extermínio que nem velado é mais!

Eu queria um Brando aqui no Brasil, que não fosse fogo e sim a brasa de um ator chamado Marlon Brando que, em 1973, na cerimônia do Oscar, quando ia receber o prêmio máximo da indústria cinematográfica por seu papel de Vito Corleone, no filme O Poderoso Chefão de Francis Ford Coppola, enviou a ativista Apache, ShasheenLittlefeather, em seu lugar.

Além de recusar-se a receber o Oscar, Marlon Brando preparou um discurso de 10 páginas para Shasheen ler, no qual denunciava o péssimo tratamento que Hollywood dispensava aos índios americanos!

Brando não discursava apenas contra o papel indígena na indústria cinematográfica, mas também a favor da tribo Oglava que, no mesmo ano, havia realizado uma ocupação de terras na região de WoundedKnee, no estado de Dakota do Sul, e estava sofrendo uma grande pressão por parte da polícia e políticos americanos, lembrando ainda que o local já havia sido palco de um massacre indígena por soldados norte-americanos em 1890!

E no Brasil estão preocupados com o fogo na estátua, ao invés do massacre que vem ocorrendo contra os nossos indígenas!

Me desculpe a educação das palavras, mas que se foda Borba Gato!!!

(*) Marcelo de Paula/Cineasta Druida Filmes.

SOBRE O AUTOR MARCELO DE PAULA

Entre idas e vindas ele é frequentador de Cabo Frio desde a década de 70. Morou em diferentes momentos na cidade: sozinho, com os pais (já falecidos), com amigos e agora com sua própria família, reside na cidade há oito anos! Escreveu para o saudoso Jornal Mural Folha de Cabo Frio, que tinha o jornalista Ralph Bravo como editor e integrou o antigo grupo teatral da cidade, o Gecay.

Escreveu para a Revista de Domingo do Jornal do Brasil; Jornal Correio Braziliense, O Globo entre outros órgãos da mídia; foi assessor de imprensa chefe da Defensoria Pública do Estado do Rio de Janeiro, no Governo Brizola; é fotógrafo e cineasta premiado, vencedor, inclusive, do Festival Curta Cabo Frio 2012, na categoria melhor filme produzido na região, com o curta-metragem “O Mico-Leão-Dourado de Cabo Frio”, documentário recém-exibido na cerimônia de inauguração da sede do Parque Municipal do Mico-Leão-Dourado, em Tamoios.

Assina direção, fotografia e roteiro em mais de 35 filmes de curta, média e longa-metragem e cinco séries de TVs, exibidas em Programas de alta audiência, como Fantástico, Domingo Espetacular e Jornal da Noite do SBT.

Recentemente coordenou a campanha para Vereadora da atual Secretária Municipal de Obras, Tita Calvet e é proprietário, em sociedade com a esposa Carla Mendes, da Druida Filmes, produtora sediada em Cabo Frio, especializada na realização de filmes promocionais.

Estamos falando do Colunista do Blog, Marcelo de Paula, responsável pelos textos e poesias provocantes de todo sábado!

E como se isso tudo não bastasse para credenciá-lo como profissional, Marcelo está fazendo Curso de Roteiro na conceituada Escola de Cinema Darcy Ribeiro. Diz que está querendo aprimorar ainda mais a escrita para dar voos mais altos no cinema e partir do documentário, que é sua zona de conforto, para a ficção!

Será que teremos um futuro Tarantino na cidade??!!!

EU QUERO É PREFEITAR!

Com a licença do grande cantor de samba de breque, JORGE VEIGA, o amigo dos “Aviadores do Brasil” e dono de sucessos como “Eu quero é rosetar” e “Bigorrilho”. E vamos esperar o Carnaval, porque como diz o Professor Babade, “Cabo Frio passou do ponto”!!!!!!!!

Repeteco?

O que aconteceu na Praça Porto Rocha foi quase uma repetição do que ocorreu na reinauguração parcial do IML de Cabo Frio, onde inteiramente só o prefeito José Bonifácio foi brindado com vaias de apaniguados bolsonaristas. Na Praça Porto Rocha não teve vaia, mas despreparo na execução de eventos políticos.

Por onde anda?

Por onde anda a coordenação política do governo de José Bonifácio? Muitos acham que não existe. Outros acham que são duas: uma para o governo e outra de caráter eleitoral. O certo é que se existem duas coordenações, elas não se entendem ou os interesses de uma delas está se sobrepondo a outra e prejudicando o governo.

Sem paciência

No concreto, o prefeito não tem a menor paciência para as questões políticas do dia-a-dia, gosta mesmo é de “prefeitar”, deixando espaço para quem quer e gosta muito. Assim, com certa aversão pela análise e articulação política, faz uma administração correta, mas voluntariosa e que tende a se isolar.

Contradição ou Estratégia?

O 1º Distrito, que compreende o centro histórico e adjacências ainda espera ações mais decisivas do governo, hoje mais concentrado no 2º Distrito de Tamoios. Engraçado, é que no 2º Distrito o prefeito, acompanhado por uma companheira de chapa que se revela cada vez mais bolsonarista, não foi bem eleitoralmente.

“Centrão” 1

No “Centrão” ou centro estendido, da Ponta do Forte a Vila do Sol, a vitória de José Bonifácio foi esmagadora. É nessa área do município, que se encontra a maior parte dos formadores de opinião e por onde todos os moradores circulam, inclusive de outras cidades como Arraial do Cabo, Búzios, São Pedro da Aldeia e até Araruama.

“Centrão” 2

No “Centrão” estão concentrados os órgãos públicos, as agências bancárias, o maior número de estabelecimentos comerciais, as principais escolas públicas e privadas e também atrações históricas e turísticas do município. Portanto, é preciso muita atenção para a região de Cabo Frio, que tem o maior peso sobre o que se acostumou chamar de opinião pública.

“Centrão” 3

É preciso dialogar politicamente, saber o que pensa e o que pretende esse percentual ponderável e importante da população, que vive na área mais bem servida de equipamentos e serviços urbanos. Virar as costas para essa parte do município é não entender a representatividade da sociedade cabofriense. As pesquisas devem, desde a campanha ter demonstrado essa realidade. Pensar sobre esses dados é urgente.

O que fazer com essa merda toda?

Mudei de endereço nessa cidade de águas que jamais deixam de se renovar. E eu podia mesmo estar impressionado com a maré cristalina que faz ver um brinco perdido no fundo canal. Ah, como eu queria estar impressionado com as canoas que trazem tainhas gordas! Mas juro a todos que aquilo que mais me impressiona é a merda de cães e gatos que se espalha pelas ruas.

Há calçadas em que o campo minado de dejetos nos põe numa marcial e labiríntica marcha pela sobrevivência. E a merda endurecida e seca sai rolando no meio do vento. Esfarelando-se e salpicando a areia! Há merda fina e comprida; merda grossa e embolorada. Em algumas estão lá pedaços de plástico e outros desesperos que a fome faz engolir!

Também noto merdas dentro de sacos. Isso mesmo, merda de cachorro embalada. Os sacos, geralmente, ficam jogados a beira dos muros. Suando por dentro, como se estivessem sufocados pelo nó falso que tantas vezes se desfaz.

A merda é dos animais, mas seus donos é que as acondicionam. Alguns desses donos do alto de sua plena consciência sanitária, pegam a merda de seus cães, embalam, atam a boca do saco com um nó e o põe na lixeira! Quase resolvido. Pois esses sacos escorrem pelas grades das lixeiras suspensas e ao penderem das falhas dos engradados ganham lá sua aparência escrotal. E assim passam meses até o plástico secar, rasgar e a merda toda rolar!

A filosofia contemporânea usa o termo “Novas Fronteiras Éticas” para questões que surgem e precisam ser pensadas antes que se transformem em problemas insolúveis.

A nossa nova fronteira, eu vou dizer, é o que fazer com essa merda toda!

Rafael Alvarenga

Cabo Frio, 29 de julho de 2021.

FALTA AUTORIDADE POLÍTICA?

Pegou mal

Junte um prefeito irritado e impaciente, um número minguado de secretários e donos de gordas portarias, tudo somado a um sistema de som que não funcionou. Esse conjunto de obstáculos marcou a cena do recolhimento para restauração das estátuas do flamenguista Leandro e do surfista Vitor Ribas.

O “Cenógrafo”

O “cenógrafo”, que certamente imaginou uma demonstração do cuidado do atual governo com as lendas esportivas cabofrienses, em plena Olimpíadas de Tóquio, fracassou. É preciso planejar melhor para não dar a impressão de descordenação entre os diferentes setores do governo, que parecem desconectados.

Deu ruim!!!

É evidente que no evento entre outras coisas se pretendia mostrar a eficiência governamental, resolvendo sem burocracia necessidades mais imediatas dos cidadãos que se dirigiram ao prefeito. O problema é que o prefeito estava com pressa, sem paciência e não havia secretários em número suficiente para que os cidadãos pudessem ser encaminhados. Deu ruim!!!

Autoridade política 1

Não cabe ao prefeito convocar seus secretários e portadores dos cargos em comissão de CPF mais gordo e outras alegorias de mão. É preciso alguém que pegue o telefone e diga

O prefeito vai estar em tal evento e sua presença é importante. Convoque os nossos amigos, que ocupam cargos na nossa administração.

Do outro lado da linha a pessoa precisa entender o recado. Correto? É assim que funciona.

Autoridade política 2

De um modo geral tarefa, que parece tão simples, mas não é, cabe ao chefe de gabinete, a chefia da casa civil, secretário particular do prefeito ou secretário de governo. Não importa o cargo, mas tem que ter uma coisa chamada “autoridade política”, sem o qual os comissionados sequer atendem ao telefone ou presta atenção a mensagem no ZAP.

De Cabo Frio para São Pedro

Mário Flávio Moreira migrou da prefeitura de Cabo Frio para a prefeitura de São Pedro da Aldeia, leia-se Fábio do Pastel. O biólogo vai ocupar a subsecretaria de saneamento e assessorar o prefeito aldeense, que é o atual presidente do Consórcio Lagos-São João.

Encerramento da Semana Sebastião Lan

O secretário de cultura Clarêncio Rodrigues e o subsecretário de ciência e tecnologia Rafael Peçanha estiveram presentes no encerramento da Semana Sebastião Lan, no Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Cabo Frio. Na ocasião foi inaugurada a placa em homenagem a Elícia Ramos, falecida em fevereiro.