BLOG DO TOTONHO

  • MAGDALA CONFIRMADA NO PV

    Apesar dos inúmeros desmentidos aqui em Cabo Frio, a prefeita Magdala Furtado parece finalmente ter encontrado a saída para o seu dilema partidário e deve se filiar “por cima”, diretamente pela nacional, leia-se José Luiz de França Penna (Presidente) ao Partido Verde (PV). A filiação da prefeita ao PV, deve mudar substancialmente o quadro político/eleitoral de 6 de outubro.

  • LIBERDADE RELIGIOSA
  • PEQUENAS DOSES

    Ganho político

    A aula inaugural do curso de Medicina da UERJ, em Cabo Frio, realizada na manhã de ontem, representou importante ganho político para o deputado Serginho Azevedo (PL). O Campus Cabo Frio recebeu inicialmente Medicina, Ciência Ambientais e Geografia, acrescido a partir de agora do curso de Enfermagem. É o início da expansão da UERJ, no município.

    Ensino Público Universitário

    A instalação da UERJ em Cabo Frio, no prédio da antiga Ferlagos, é um passo importante para a consolidação do ensino universitário público no município e Região dos Lagos. Até então Cabo Frio tinha duas universidades privadas, a Estácio de Sá e a Veiga de Almeida, com cursos presenciais e a distância. A Veiga funciona em prédio através de regime de comodato com o poder público municipal.

    Quem é o candidato (a)?

    Marquinho Mendes (MDB) promete para hoje um grande acontecimento político com o lançamento de candidatura a prefeitura de Cabo Frio. Marquinho só não definiu ainda se o candidato é ele ou sua esposa, Kamilla. Enquanto isso, mantém espaços políticos, digamos assim, no governo de Magdala Furtado.

    PT com Rafael

    O namoro do governo de Magdala Furtado (sem partido) com o PT parece ter chegado ao fim, inclusive porque se trata de uma Federação, que inclui o PC do B e o PV. Segundo fonte do PT “a relação de Magdala com o PV inexiste. Em todos os âmbitos.” Importante conferir os desdobramentos dessa novela.

    Qual o destino de Magdala? – 1

    Encerrado o namoro com o PT e com Aquiles Barreto levando o PSD de Eduardo Paes para o colo do deputado Serginho Azevedo (PL) o que resta a prefeita Magdala Furtado (sem partido)? O PV como noticiado anteriormente é impossível, entre outras coisas porque existe a Federação com o PT e o PC do B.

    Qual o destino de Magdala? – 2

    O mais provável é que o projeto de reeleição da prefeita desembarque no PSB, que está no governo. Mesmo assim não é tão simples, porque teria que contar com o aval político do ex-deputado Alessandro Molon, que dá as cartas no partido e que apesar de algumas divergências é bem mais próximo ao PT.

    Mandato tampão

    A prefeita Magdala Furtado (sem partido) enfrenta duas Comissões Parlamentares de Inquérito (CPIs): Eventos e Saúde. Além de um pedido de impedimento apresentado a Câmara pelo ex-vereador Dirlei Pereira. É muita complicação para quem assumiu um “mandato tampão” em substituição ao prefeito José Bonifácio (PDT).

    Sem definição

    No campo progressista, mais a esquerda, o PSOL e a REDE, que são uma Federação, ainda não definiram o seu destino político, podendo apoiar Rafael Peçanha ou lançar candidatura própria. Nesse mesmo campo político/ideológico, a UP caminha para candidatura própria e nominata para a Câmara.

    Estratégia

    Na eleição de 2020, os chamados partidos de esquerda, o PSOL e a UP, apesar de votações individuais interessantes e bem sucedidas (Chantal Ferraz), totalizaram cerca de 0,9% dos votos. Analistas políticos acreditam que a concentração de votos possa conseguir, em 2024, uma ou duas poltronas no Plenário Oswaldo Rodrigues, na Câmara Municipal.

    Aniversário & Candidatura

    Janio Mendes, presidente do PDT de Cabo Frio aniversariou ontem e comemorou junto com a família, em Teresópolis. Janio, grande articulador político, é um dos “medalhões” que pretende sentar nas macias poltronas do Plenário Oswaldo Rodrigues.

  • CABO AZUL

    José Sette de Barros (*)

    Cabo Frio. Passei um dia agradável na companhia de alguns dos meus diletos amigos que aqui deixei. Falamos e rimos de todos e de tudo. Senti muita falta do amigo Babade que me disseram que estava, a cada dia que passa, mais lúcido. O meu maior amigo, o professor Totonho, era quem me recebeu e me informava de tudo sobre a história recente do município. Pude ali rever o velho e falante Monteiro que infelizmente hoje está surdo. Claudio Leitão, de brinquinho e sua linda mulher poeta na sua infindável lua-de-mel, e me disse que não quer mais ser candidato a prefeito, mas que quer ser vereador. Kiko, filho de ex-prefeito Timinho, falando de sua nova moto e de sua viagem. Fiquei feliz em ver Juninho Caju, revigorado, forte e cheio de energia para disputar, merecidamente, uma cadeira de vereador. O  alegre amigo Gabriel, anjo bento pela mão do papa (Totonho) com sua cabeleira em um moderníssimo rabo-de-cavalo. Soberbo Duca Monteiro, sempre protegendo o velho pai Wilmar. O grande Flavio Rosa, contando suas façanhas na política estadual. O meu inteligente e sincero poeta Octávio Perelló, um intelectual de fino trato. Olhava também os que por ali passavam, como “O Português” Narciso, olhando com curiosidade os amigos presentes, neste simpático café do Lago Sul, mas, para finalizar, também nesta tarde feliz fiquei triste quando o assunto enveredou para a política e a próxima eleição para a Prefeitura… Não posso acreditar no que eu ouvi… o candidato da direita pode ganhar a eleição, no dizer de todas as pesquisas. As esquerdas, os progressistas, os democratas, os libertários, desunidos, estarão fora, e possivelmente não elegerão ninguém. Na briga do PT contra o seu candidato natural. Amigos, é hora da união de todos na escolha de quem vai representar, verdadeiramente, o povo deste belo litoral que não me sai da memória de tanta saudade.

    • Cineasta e Artista Plástico.
  • O CANALHA

    Quando soube que a noiva tinha viajado de lotação com o Dudu, sentada no mesmo banco, pôs as mãos na cabeça:

    — Com o Dudu?

    E ela:

    — Com o Dudu, sim.

    As duas mãos enfiadas nos bolsos, andando de um lado pa­ra outro, ele estaca, finalmente, diante da pequena:

    — Olha, Cleonice, vou te pedir um favor de mãe pra fi­lho. Pode ser?

    — Claro.

    Puxa um cigarro:

    — É o seguinte: de hoje em diante, ouviu?, de hoje em diante, tu vais negar o cumprimento ao Dudu.

    Admirou-se:

    — Por que, meu anjo?

    Ele explicou:

    — Porque o Dudu é um cínico, um crápula, um canalha abjeto. Um sujeito que não respeita nem poste e que é capaz até de dar em cima de uma cunhada. O simples cumprimento de Dudu basta para contaminar uma mulher. Percebeste?

    — Percebi.

    Ainda excitado, ele enxuga com o lenço o suor da testa:

    — Pois é.

    Passou. Mas a verdade é que Cleonice ficou impressionadíssima. Dava-se com o Dudu, sem intimidade, mas cordialmen­te. Dançara com ele umas duas ou três vezes. Mas como o Du­du fosse fisicamente simpático e educadíssimo, Cleonice guar­dara dos seus contatos acidentais uma boa impressão. Caiu das nuvens ao saber que ele era capaz de “dar em cima de uma cunhada”. Teria, porém, esquecido. Voltando à carga, sentado com a noiva num banco de jardim público, ele começa:

    — Meu anjo, tu sabes que eu não tenho ciúmes. Não sabes?

    — Sei.

    Pigarreia:

    — Só tenho ciúmes de uma pessoa: o Dudu. E nunca te es­queças: é um canalha, talvez o único canalha vivo do Brasil. To­do mundo tem defeitos e qualidades. Mas o Dudu só tem defeitos.

    Inexperiente da vida e dos homens, ela fazia espanto:

    — Mas isso é verdade? Batata?

    Exagerou:

    — Batatíssima! Quero ser mico de circo se estou mentin­do! — E repetia, num furor terrível e inofensivo: — Indigno de entrar numa casa de família!

    OBSESSÃO

    Então, sem querer, sem sentir, Lima foi fazendo do Dudu o grande e absorvente personagem de suas conversas. Argumen­tava:

    — Você é muito boba, muito inocente, nunca teve outro namorado senão eu. Queres um exemplo? Sou teu noivo, vou casar contigo. Muito bem. O que é que houve entre nós dois? Uns beijinhos, só. É ou não é?

    Impressionada, admitiu:

    — Lógico!

    Lima continua:

    — Figuremos a seguinte hipótese: que, em vez de mim, fos­se teu namorado o Dudu. Tu pensas que ele ia te respeitar co­mo eu te respeito? Duvido! Duvido! Dudu não tem sentimento de família, de nada! É uma besta-fera, uma hiena, um chacal!

    Crispando-se, Cleonice suspira: “Parece impossível que existam homens assim”. Lima prossegue: “Vou te dizer uma coi­sa mais: o Dudu olha para uma mulher como se a despisse men­talmente!”.

    A FESTA

    Dias depois, Cleonice está conversando com umas coleguinhas quando alguém fala do Dudu. Então, ela olha para os lados e baixa a voz: “Ouvi dizer que o Dudu deu em cima de uma cunhada!”. Uma das presentes, que conhecia o rapaz, a família do rapaz, protesta: “Mas o Dudu nem tem cunhada!”. Mais tar­de a espantadíssima Cleonice interpela o Lima. Ele não se dá por achado:

    — Eu não disse que o Dudu deu em cima de uma cunha­da. Eu disse que “daria” caso tivesse. Você entendeu mal.

    Mais alguns dias e os dois vão a uma festa, em casa de famí­lia. Entram e têm, imediatamente, o choque: Dudu estava lá! Jun­to de uma janela, com o seu bonito perfil, fumando de piteira, pálido e fatal, atraía todas as atenções. Lima aperta o braço da noiva. Diz, entredentes: “Vamos embora”. Ela, espantada, per­gunta: “Por quê?”. O noivo a arrasta:

    — O Dudu está aí. E não convém, ouviu? Não convém! Imagina se ele tem o atrevimento de te tirar para dançar. Deus me livre!

    O MEDO

    Na volta da festa, Cleonice faz, pela primeira vez, um co­mentário irritado:

    — Fala menos nesse Dudu! Sabe que eu só penso nele? Te digo mais: tenho medo!

    Lima estaca: “Medo de que e por que, ora essa?”. Ela pare­ce confusa:

    — Essas coisas impressionam uma mulher. — E repete o apelo: — Não fala mais nesse cara! É um favor que te peço!

    Ele obstinou-se: “Falo, sim, como não? Você precisa olhar o Dudu como um verme!”. Cleonice suspirou:

    — Você sabe o que faz!

    ÓDIO

    Corria o tempo. Todos os dias, o Lima aparecia com uma novidade: “Vi aquela besta com outra!”. E se havia uma coisa que doesse nele, como uma ofensa pessoal, era a escandalosa sorte do “canalha” com as outras mulheres. Nos seus desaba­fos com a noiva, Lima exagerava: “Cheio de pequenas! Tem na­moradas em todos os bairros!”. Um dia, explodiu:

    — Vocês, mulheres, parece que gostam dos canalhas! Por exemplo: o meu caso. Sem falsa modéstia, sou um sujeito decente, respeitador e outros bichos. Pois bem. Não arranjava pe­quena nenhuma. Até hoje não compreendo como você gostou de mim, fez fé comigo e me preferiu ao Dudu. — Pausa e baixa a voz, na confissão envergonhada: — Porque o Dudu me tirou todas as outras namoradas, uma por uma.

    Era essa, com efeito, a origem do seu ódio por Dudu, do despeito que o envenenava.

    AS BODAS

    Chega o dia do casamento. Poucos minutos antes da ceri­mônia civil, Lima, transfigurado, ainda diz ao ouvido da noiva: “O Dudu roubou todas as minhas pequenas, menos você!”. Pois bem. Casam-se no civil e, mais tarde, no religioso. Quase à meia-noite, estão os dois sozinhos, face a face, no apartamento que seria a nova residência. Ele, nervosíssimo, baixa a voz e pede: “Um beijo!”. Ela, porém, foge com o rosto: “Não!”. Lima não entende. Cleonice continua:

    — Falas te tanto e tão mal do Dudu que eu me apaixonei por ele. Eu não trairei o homem que eu amo nem com o meu marido.

    Lima compreendeu que a perdera. Sem uma palavra deixa o quarto nupcial. De pijama e chinelos veio para a porta da rua. Senta-se no meio-fio e põe-se a chorar.

    Nelson Rodrigues – 1912/1980.

  • LUZES DA PASSAGEM

    Luzes da Passagem – Cabo Frio/RJ – Evangelos Pagalidis.

  • PEQUENAS DOSES

    Rauai – Katyuscia Brito

    Katyuscia Brito, que no governo José Bonifácio (PDT) ocupou a pasta de Agricultura e posteriormente Turismo e Esporte teve excelente repercussão no seu primeiro livro. Romance policial, “Rauai”, lançado pela Sophia Editora. Mais uma aposta certeira do editor Rodrigo Cabral, que vem revolucionando o mercado de livros de toda a Região dos Lagos.

    “O Globo”

    A crítica do “O Globo” foi excelente. Em romance de estreia, autora pernambucana explora o universo sem lei do Polígono da Maconha. Em ‘Rauai’, Katyuscia Brito conduz o leitor a um mergulho profundo no mundo do crime sertanejo por meio da saga de um órfão apaixonado pelo perigo. – Gabriel Zorzetto – “O Globo”.

    Coleta no governo e no PDT

    O deputado Serginho Azevedo (PL) tem trabalhado intensamente no sentido de capturar para o seu bloco os insatisfeitos com o governo de Magdala Furtado (sem partido) e muita gente que serviu a prefeitura de José Bonifácio (PDT). O grupo ligado ao falecido prefeito foi imediatamente expurgado quando a então vice-prefeita assumiu o controle da Prefeitura de Cabo Frio e parte tem aderido a candidatura do deputado.

    Quem permaneceu?

    Apenas um pequeno grupo que trabalhou em cargos de confiança no governo de José Bonifácio (PDT) permaneceu com suas portarias no governo de Magdala Furtado (sem partido). Em grande parte oriundos do PSB e do PV, cujas legendas parecem querer apoiar a prefeita em seu projeto de reeleição.

    Articulação de Marquinho

    O ex-prefeito Marquinho Mendes (MDB) insiste que é candidato a prefeito e caso não consiga manter a candidatura por problemas jurídicos garante que vai lançar sua esposa Kamila. Ao mesmo tempo, tenta se aproximar do PDT, que não tem candidato próprio a prefeito e procura fortalecer sua nominata a Câmara.

    Um pé lá, outro cá

    Apesar de estar se lançando candidato a prefeito em “dupla” com sua esposa Kamila, Marquinho Mendes (MDB) continua com pé e braço dentro do governo de Magdala: Clésio Guimarães está na Fazenda, Paola no Turismo e Carlos Augusto (Obras e Serviços Públicos). Qual o sentido? Caso a candidatura não possa ser oficializada fica com Magdala?

    Reeleição?

    Alguns antigos analistas da política cabofriense estão prevendo uma debandada no governo de Magdala Furtado (sem partido) caso as pesquisas não demonstrem que a prefeita tem reais possibilidades de ter sucesso em seu projeto de reeleição. Como diriam os “três ases”, que fizeram história na Câmara de Cabo Frio é hora de colocar “as barbas de molho”.

    Progressistas: poucas definições

    No campo progressista, a Federação do PSOL e REDE ainda não decidiu a posição frente ao quadro eleitoral de 6 de outubro, mas aconteceram dissenções como a de Margareth Ferreira, porta-voz da REDE, que migrou para a candidatura do deputado Serginho Azevedo (PL). A Unidade Popular (UP) está montando nominata para a Câmara e tudo leva a crer que vai lançar candidatura própria a Prefeitura.

    A candidatura de Rafael

    O professor Rafael Peçanha continua trabalhando seu nome na Federação (PT/PV/PC do B) e tem o apoio unânime do diretório municipal do PT. A candidatura de Rafael sofre o assédio da prefeita Magdala Furtado, tentando capturar a legenda para composição com o PSB, que está no governo.

    Existe a Federação

    Importante notar que embora a prefeita esteja tentando atrair o PT para o seu projeto de reeleição, o partido de Lula está em Federação com o PC do B e o PV. Essa realidade política da Legislação Eleitoral produzida pelos próprios partidos não facilita a vida político/partidária de Magdala, que ainda busca partido para chamar de seu.

    Diversas candidaturas

    Consolidada a candidatura, de Rafael Peçanha ela viria através da Federação (PT/PV/PC do B), mas não seria a única no campo progressista. A Federação PSOL/REDE deve lançar candidato próprio a prefeito e a Unidade Popular (UP) também está indo na mesma direção.

  • O EQUÍVOCO DO DISCURSO GENERALIZANTE

    Vivemos dias difíceis, tempos de análises generalizantes, principalmente na política, tempos de conformismos e de opiniões que pregam que não adianta enfrentar o “sistema” porque ele é forte demais e está enraizado na sociedade. Isso tudo sem falar numa suposta polarização entre progressistas e conservadores que existe hoje no país protagonizada por Lula e Bolsonaro. Outras análises dizem que não adianta abrir as “porteiras” porque o gado e as ovelhas não querem sair. Gente que afirma com uma certeza absoluta que quem se manifesta e luta é baderneiro e está lá porque recebe dinheiro de “subversivos”.

    Ainda tem aqueles que dizem que não adianta votar em gente séria e honesta porque o tal “sistema” vai corromper o sujeito ao ser eleito. Ou seja, gente que não acredita e que não deixa os outros acreditarem em nada. Gente que não acredita nem em si mesmo, pois teme não conseguir resistir às tentações da corrupção ou das vantagens indevidas no exercício do poder político.

    Quem está satisfeito com o quadro político deve manter os mesmos no poder, mas quem não está, tem que ter a coragem e a ousadia dos fortes para renovar, assumindo os riscos e as responsabilidades que o atual momento requer. Anular o voto ou se omitir nas críticas a este processo vai ajudar a manter este modelo que oprime principalmente os trabalhadores e os excluídos da sociedade, mas que no fundo afeta a todos. Precisamos ir à luta com as “armas e ferramentas” possíveis para o bom combate. O voto renovador e a mobilização popular são bons exemplos, apesar de uma conjuntura política desfavorável, onde o poder econômico domina e compra votos e consciências, reduzindo as possibilidades de avanços no campo político.

    Mas se “navegar é preciso”, lutar por mudanças também é fundamental. Já dizia Gramsci: “Pessimismo da razão, mas otimismo e prática da vontade”. Não podemos entregar o “jogo” e permitir que nos roubem a única coisa que resta: A esperança de dias melhores. Os ventos da mudança precisam soprar fortemente e assustar os poderosos. A forma de encarar o problema é que se torna determinante na sua solução. Tudo na nossa vida depende de decisões políticas. Isso é inquestionável. Atinge de forma diferente os diversos segmentos sociais, mas interfere na vida de todos. Não existe espaço vazio na política.

    Se o cidadão não ficar atento e não se importar, os políticos pilantras e vigaristas vão ocupar este espaço e determinar as políticas públicas que irão afetar a vida da nação, do seu estado e do seu município. Cuidado com o medo, ele adora roubar sonhos.

    Bertolt Brecht disse ainda no século passado: “Nada deve parecer natural. Nada deve parecer impossível de mudar”.

    Para o trabalhadores e os mais pobres só a luta muda a vida !!

    Claudio Leitão é economista e professor de história.

  • ENERGIA SOLAR

110 respostas em “BLOG DO TOTONHO”

Lendo o artigo da Angela,recordei dos tempos das idas a Cabo Frio, o cheiro que pairava no ar, era uma mistura de pimenta do Reino, do mar e a fragrancia dos perfumes de agua de cheiro, que gostosura.Ah! Se pudesse voltar!

Hoje, me desculpem, desprezo a parte politica, para ficar com o Jose Henrique e os doces de sua mãe, Luizinha. Que coisa gostosa a lembrança daqueles momentos das feituras dos doces, nas cozinhas das casas familiares, em Cabo Frio. Estou com água na boca, até agora! Abraços, caro primo!

Totonho, o seu Blog é um dos mais respeitados porque trás notícias dos bastidores do cenário político da cidade, diariamente. Notícias fresquinhas para os leitores. Parabéns

Totonho, parece tudo na mesma, com a exceção da imagem da Passagem! Muito bela, no mais, fico a teoria de Lavoisier, ” nada ba vida se midifica só se transforma ” abraços em todos os nossos conterrâneos.

Totonho, parece tudo na mesma, com a exceção da imagem da Passagem! Muito bela, no mais, fico a teoria de Lavoisier, ” nada ba vida se midifica só se transforma ” abraços em todos os nossos conterrâneos.

CarO Totonho, nessa coxa de tetalhos, observo que a politica em Cabo Frio, tem pouca variação, será que o Serginho conhece administracao publica, renho as minhas reticências. Quanto ao tal de Quaqua, é caminhar para uma derrocada, não sei como o Lula o suporta!

Li o blog de 9 de ijaneiro, resumo de noticias, cronicas diversas com politicas e literatura, estava com saudades ! Abraços Totonho e Luciana!

Olá querida pessoa com a mesma opinião!
Você foi recomendado para mim como uma pessoa que atinge seus objetivos
Por isso, convido-vos, juntamente com os vossos amigos, a juntarem-se a nós e a mudarem a vossa vida para melhor!
Você pode encontrar mais detalhes aqui [url=https://smartsbit.pro]”Accept invitation”[/url]
Não se esqueça que há um número limitado de vencedores!

[url=https://smartsbit.pro]We are waiting for you, see you![/url]

Parabéns Mestre Totonho,

Seu Blog mantém a essência de um bom editorial, com simplicidade e análises precisas é perceptível sua isenção em cada texto.

Sua assinatura merece nosso respeito.

Leio o seu blog , porque enquanto o meu título eleitoral for daí, e a minha casa no Portinho também : sinto que as minhas amarras, continuam cada vez mais firmes em nôs atados!
Mas ler o seu Blog.com esse oceano imenso todo, me separando daí, sinto como Cabo Frio ainda é uma peça fundamental e importante em minhas emoções !
Tati Bueno

Vc, com esse seu jeito de profissional ético , conseguiu despertar em mim, o gosto adormecido para voltar a escrever sem compromisso, ou obrigatoriedade de fechamento de uma eventual coluna com data marcada pra ser publicada
Hoje é domingo ; semana que vem, volto a circular na pista e mando uma nova crônica
Abraços

Sei lá! dizer o que mais ? Não sei mesmo ; você conseguiu que eu voltasse, com prazer , colocar os bests-sellers de lado, e voltasse a escrever : assim como quem não quer nada ; eu tou voltando …
Tati Bueno

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *