2022 VAI SER QUENTE

Centro Olímpico

Flávio Rosa continua liderando o PSB na Região dos Lagos e após breve período como secretário municipal de esportes e lazer se lançou candidato a Câmara Federal. O seu principal objetivo é a construção do Centro Olímpico Aracy Machado.

Beliscando

Embora não faça de Cabo Frio sua base eleitoral, o secretário municipal de esportes do Rio de Janeiro, Guilherme Schleder (PSD), candidato a ALERJ, quer beliscar uns votinhos aqui na Região. Guilherme é neto do professor cabofriense Henrique Nogueira.

Preparo físico

Janio Mendes (PDT) continua trabalhando intensamente para voltar a ALERJ. Para enfrentar a longa caminhada o preparo físico é essencial. Não foi por acaso que divulgou nas redes sociais da Internet um vídeo com flexões.

Conciliação

O discurso do deputado Marcelo Freixo busca a ampliação de sua base político-eleitoral, revelando uma das causas que lhe dão o primeiro lugar nas pesquisas. O discurso do deputado se distancia dos tempos do PSOL.

Ômicron

O adiamento da temporada de transatlânticos em Cabo Frio acaba sendo oportuna em função do aparecimento da variante ômicron do covid-19. Novos cuidados terão que ser tomados pelas autoridades de saúde.

Capela

Assíduo e atento leitor aqui do Blog percebeu na noite de ontem, segunda-feira, que a iluminação da Capela de Nossa Senhora da Guia estava apagada. O que aconteceu?

São Benedito

Enquanto isso a Igreja de São Benedito, no centro do bairro da Passagem, está precisando de urgente restauração. Onde está o empresariado que usufrui de grandes lucros naquele sítio histórico? Depois não adianta rezar para o santo.

Pevetê igual a povotó

Marcos Antônio de Paula

Não sou do tempo do ENEM, mas já vi que os professores de hoje lançam mão dos mesmos recursos, no afã de socorrer seus alunos assoberbados com um sem-número de conceitos, temas, matérias e otras cositas a serem absorvidas e regurgitadas no devido momento, a hora H, das provas de acesso à formação de nível superior.

Trovas, musiquinhas, anagramas, siglas, abreviaturas. Métodos de memorização ou alguma abordagem lúdica para alívio de última hora. Coisa corriqueira nos cursinhos e turmas preparatórias para o vestibular. Se não é possível saber tudo, saquemos um plano B do alforge.

O que me levou à tal formulinha foi a minha total inépcia para a Física. Conseguia administrar satisfatoriamente minhas deficiências em outras matérias, mas, neste caso, mal fazia para garantia da reles sobrevivência estudantil.

Quando sabemos pouco sobre determinados assuntos, especialmente aqueles mais elaborados, é maior o risco de nos deixarmos levar por explicações mirabolantes, tolas e até por um certo misticismo.

Acontece comigo. Suspeito que é assim com todo mundo.

Tenho quase certeza, os físicos jamais confessarão: No fundo, magia é a explicação de tudo que eles fazem.

Um amigo, hoje professor, afirmava que é arte, na verdade:

“Matéria atrai matéria, na razão direta de suas massas e na razão inversa do quadrado de suas distâncias”

Ele via dançarinos de tango indo e vindo, se atraindo ou se repelindo onde Isaac Newton viu apenas a lei da gravitação universal.

Num site de curiosidades, li que os físicos afirmam ser impossível voltar no tempo. Pensei, estão errados, do contrário não teriam feito o episódio “ A Cidade à beira da Eternidade”, de Star Trek. Sabemos todos, se apareceu em Star Trek, é verdade. Ou será.

Em outra ocasião, num pequeno post do “Vatican News” informaram que há alguns padres trabalhando no famoso acelerador de partículas europeu, o CERN. Exclamei “Eu sabia!”. Ciência o quê!

Pevetê igual a povotó!

Repetia o mantra na esperança de, minimamente, não zerar a famigerada prova. De fato, alguns outros também. Não sei exatamente qual deles me socorreu e me permitiu sonhar com o tal diploma de nível superior. Esse, contudo, migrou para a minha memória afetiva, onde mora até hoje.

Ensinar não é fácil e, às vezes, requer um certo esforço braçal. Lembro-me bem do tal professor que ajudou a mim e a tantos outros. Bastava-lhe passar o conteúdo, a ementa, a matéria. Colégio público, não tinha a obrigação. Fez um pouco mais. Reconheceu nossas limitações. Mandou um plano B.

PiVi/Ti = PoVo/To é conhecida como a equação geral dos gases, que aborda as três variáveis de estado (Pressão, Volume e Temperatura).

(*) Ciências Contábeis/UFF.

Sobre ser feliz

Ana Angélica Tavares de Mello

Acordei e estava chovendo. Uma sexta feira chuvosa pensei, uma sexta feira comum, sem grandes planos, sem eventos agendados, com a rotina de sempre: alimentar os gatos, passear com o cão, dar remédio ao gatinho doente, tomar um café, olhar as plantas, dar bom dia a vizinha do lado, vida comum.

Preciso resolver alguns problemas pendentes, ligar para o DETRAN, mandar consertar a impressora, responder a mensagem de uma amiga…e o dia vai passando, lá se foi a manhã e a vida vai correndo assim, nesse contínuo de pequenos eventos, de necessidades diárias e essenciais.

E eu me pego tão feliz, tão desassombrada e grata.

Nem sempre foi assim, é claro! O mundo em que vivemos demanda muita aflição, muitas agonias e ansiedades, somos compelidos a corresponder a tantos estereótipos em busca dessa tal felicidade, posta sempre além, para longe do alcançável, lá, sempre lá.

Ai a gente corre, se reinventa, pinta os cabelos, compra  produtos de marca, freqüenta  lugares da moda, viaja, posta foto com cara feliz nas redes sociais, opina sobre os temas em voga pra ganhar curtidas e a lista não acaba. Mas a felicidade ainda está além, lá fora, no outro, na coisa, no lugar fora de nós.

Somos ensinados a persegui-la, correr atrás, como se diz no popular e nos arrebentamos nessa corrida maluca, adoecemos de ansiedade, ferimos pessoas, abandonamos sonhos e projetos, atropelamos a nossa consciência quando nos alerta de que alguma coisa não está indo bem em nosso modo de viver.

Normalmente demoramos muito a perceber que o que buscamos fora de nós, nos habita em estado latente aguardando que despertemos do auto engano e sejamos de fato felizes, não uma felicidade utópica, mas aquela que nasce da compreensão do sentido e do significado da vida e cujo fundamento é o amor.

Cabo Frio, 12 de novembro de 2021.

Ana Angélica Tavares de Mello

Freixo, em Cabo Frio

O fato político da semana que passou foi à presença em Cabo Frio do candidato líder nas pesquisas para o governo do estado, o deputado Marcelo Freixo (PSB). O deputado teve encontros com lideranças políticas progressistas locais., inclusive o prefeito José Bonifácio e os ex-secretários municipais, Cláudio Leitão e Flávio Rosa.

Que dupla!

Os dois, Cláudio Leitão e Flávio Rosa estão se assanhando para disputar a eleição de 2022, o tabelião surfista de forma mais explícita. Tudo leva a crer que a sigla escolhida será o PSB de Alessandro Molon e Marcelo Freixo, mas são muitas as possibilidades dentro do mapa eleitoral do Estado.

De mala e cuia

Os bolsonaristas devem mudar em massa para o PL depois do acordo firmado entre Waldemar da Costa Neto e Jair Bolsonaro. A pergunta que fica coçando a língua é: quais os partidos que a extrema direita vai se esparramar nas eleições de 2022?

Quem é o líder?

Quem vai comandar o PL, na Região dos Lagos? O deputado/secretário Sérgio L. Azevedo está de mudança para o PL e o ex-deputado Paulo César Guia garante que para chegar à sigla tem que conversar com ele. Afinal, quem vai liderar o time do mensaleiro Waldemar da Costa Neto na Região?

Dispersão

A extrema direita cabofriense está mais concentrada no Distrito de Tamoios, na medida em que é uma área de ocupação recente com predominância da Baixada Fluminense. Uma só legenda, no caso o PL, não vai conseguir “agasalhar” os bolsonaristas e moristas, que disputam nacos de poder.

Prestígio

Qual será o papel do ex-prefeito Marquinhos Mendes e de seu irmão Carlos Victor na eleição de 2022? Marquinhos Mendes tem grande potencial de votos e mesmo fazendo uma campanha capenga mostrou, em 2020, sua força eleitoral. Resta saber se o ex-prefeito consegue recuperar o seu prestígio na cidade.

É candidato mesmo?

O ex-prefeito Alair Corrêa tem anunciado uma possível candidatura a Câmara Federal. O “velho morubixaba” já tentou uma vez, foi muito mal votado e não se elegeu. Qual a legenda o vai “agasalhar”? Há quem diga que na “hora h” ele desiste e apóia um candidato de fora da cidade com grande potencial, como o ex-deputado federal Ronaldo César Coelho.

LULA, O QUE É ISSO COMPANHEIRO?

Cláudio Leitão

A entrevista dada por Lula esta semana ao importante jornal espanhol “EL PAÍS” foi boa, entretanto,revelou aquelas velhas vacilações do petista em assuntos políticoscomplexos, como conceitos sobre a democracia. Apesar da sua enorme experiência política, convenhamos, ele nunca foi um virtuose em sociologia e ciência política.

É óbvio que Lula não oferece nenhum risco a democracia brasileira, mas para criticar e estabelecer contrapontos corretos a sanha autoritária de Bolsonaro, precisa ser firme na defesa conceitual de todos os aspectos democráticos, mesmo que seja dessa democracia burguesa em que vivemos com todos os seus vícios e defeitos. Das suas respostas, duas foram bastante claudicantes. Na que compara Ângela Merkel da Alemanha com Daniel Ortega da Nicarágua e a outra na eterna discussão sobre o modelo cubano.

Na primeira, é importante frisar que o modelo alemão é parlamentarista, o que provoca muitas vezes, por decisão democrática do parlamento, a manutenção do chanceler no poder por vários mandatos. Isso se repete em vários outros países parlamentaristas. Já no caso de Ortega, o modelo é presidencialista e nada justifica a perseguição e a prisão de líderes oposicionistas para facilitar sua eleição. Ortega mudou demais, virou um típico ditador latino-americano e deixou muito lá para atrás aquele que foi um dia uma liderança revolucionária sandinista.

Logo, responder o questionamento da jornalista sobre a atitude ditatorial de Ortega dizendo que ela era errada, mas comparando com o tempo de permanência no poder da chanceler alemã, foi uma grande bobagem e “uma bola fora”.Havia vários outros pontos de abordagens possíveis. Ortega, hoje, não é defensável e não pode ser aliado em nada, pois não está mais no nosso campo.

Na segunda, em relação a questão cubana, quando confrontado com os últimos protestos e a falta de maior liberdade democrática na ilha caribenha, Lula não enfrentou a questão e tergiversou apelando para o criminoso bloqueio econômico que já dura 60 anos. É claro que o bloqueio é condenável e deve ser muito criticado, mas não podemos fugir do debate sobre a necessidade de flexibilização do regime cubano. É um desafio que Lula e toda a esquerda brasileira precisam enfrentar. Tanto o bloqueio quanto a falta de maior espaço democrático em Cuba são criticáveis. Uma razão não exclui a outra.

A revolução cubana foi vitoriosa e trouxe méritos e desenvolvimento para seu povo. Terminou com a ditadura corrupta de Fulgêncio Batista, subordinada aos EUA, abrindo novos horizontes na América Latina para um modelo socialista que visava melhorar a qualidade de vida do povo e uma melhor repartição da riqueza produzida. Entretanto, penso que a “mão firme” do primeiro momento da revolução, nesta nova realidade e contemporaneidade, precisa ser flexibilizada sem prejuízo ao modelo.

As novas lideranças cubanas precisam mostrar que cabe liberdade democrática num modelo socialista. Os caminhos precisam ser achados com a ampla participação do povo cubano. Os cubanos, respeitando os critérios de autodeterminação dos povos, precisam achar seus caminhos de consenso.

Não vamos aqui querer “tapar o sol com a peneira” e dizer que existe democracia plena em Cuba. Não existe. Existem eleições para representantes do povo numa estrutura parecida com uma assembleia ou parlamento popular, mas acredito que é necessário um avanço maior em outras áreas. Será que não vamos conseguir compartilhar socialismo com um processo de maior liberdade democrática?

O discurso de defesa intransigente da democracia, repito, mesmo que seja essa burguesa que temos com todos os seus senões, no Brasil ou fora do país em entrevistas para grandes órgãos de comunicação internacionais, não pode ter dúvidas ou vacilações. Questionamentos como este que Lula se deparou vão se repetir e é preciso coragem para enfrentá-los com a verdade dos fatos e não com escapes oportunistas, sob pena de sermos incoerentes na crítica ao modelo fascista e antidemocrático de Bolsonaro.

Este texto não tem a pretensão de fazer uma crítica oposicionista a Lula, reconheço que é ele que tem as melhores condições de derrotar Bolsonaro, mas entendo também que político nenhum merece nosso apoio de forma acrítica e messiânica. Ele na situação que está, na liderança folgada das pesquisas eleitorais, precisa ter mais cuidado e elaborar melhor suas manifestações políticas. Todo mundo está de olho nele. Lula é uma “velha raposa da política” e não pode dar “esse mole” para os adversários. Como se diz no jargão popular “não pode dar milho aos pombos” !!

Democracia não é o paraíso, mas ela consegue garantir que a gente não chegue no inferno.

Leandro Karnal

Claudio Leitão é economista e professor de história.

PRECONCEITO É NEGAR O PRECONCEITO

Ângela Maria Sampaio de Souza

“Existe uma história do povo negro sem o Brasil. Mas não existe uma história do Brasil sem o povo negro.”

Dia 20/11 – Dia da Consciência Negra.

No Brasil e em outros países que utilizaram a mão de obra escrava, o racismo aflora, isso principalmente da colonização e da escravidão.

Podemos observar que o homem, ser humano é uma criatura estranha.

Todas suas ações são motivadas pelo desejo, assim pode nascer o conflito racial.

Não podemos libertar um povo, sem antes nos libertarmos da nossa própria escravidão.

É preciso que compreendamos que não existe liberdade sem igualdade e a igualdade de direito, política, social e econômica ainda não possuímos.

Muitos dizem que não há preconceito racial em nosso meio nos dias de hoje. Podemos até chamar essas pessoas de alienados!

A maior expressão do preconceito racial no nosso país está justamente em negar esse preconceito.

Enquanto a cor da pele for mais importante que o brilho dos olhos, a alma, a guerra estará presente.

Acredito que não há mais lugar para isso, não faz diferença nenhuma de que cor nós somos.

Somos todos seres humanos!

Sei somente que somos alma!

Não precisamos ser negros para lutarmos contra o racismo, precisamos ser humanos!

O Dia da Consciência Negra é um dia para lembrarmos e valorizarmos a importância de um povo que contribuiu para nosso desenvolvimento e para nossa cultura.

Temos que reconhecer e valorizar portanto a luta desse povo e suas contribuições para nossa sociedade.

Devemos refletir sobre esse problema e procurar meios de combater esse racismo e essa desigualdade social.

O racismo estrutural estabelece barreiras para grupos que sofrem preconceitos tornando nossa sociedade mais desigual.

Hoje uma das maiores estruturas do racismo em nossa sociedade é a política do “ deixa morrer”.

As consequências de um país estruturado a partir dessa segregação, expressam em diversos índices e indicadores sociais como os negros e pardos piores índices de renda, moradia, escolaridade, serviços etc

Temos que reagir, lutar para que essa população negra seja reconhecida não pela cor da sua pele, mas como seres humanos. Ninguém nasce odiando outra pessoa pela sua cor de pele, por sua origem ou por sua religião. Para odiar as pessoas precisam aprender, e se podem aprender elas podem ser ensinadas a amar. (Nelson Mandela) Temos que chegar o dia de comemorarmos o Dia da Consciência Humana!

Ângela Maria Sampaio de Souza é Professora.

MARCELO FREIXO EM CABO FRIO

Freixo & Leitão

O deputado Marcelo Freixo, candidato ao governo do estado pelo PSB, confraternizando com o antigo companheiro de militância no PSOL, o ex-secretário municipal de educação de Cabo Frio, Cláudio Leitão.

Frente Progressista

Marcelo Freixo (PSB) visitou o prefeito José Bonifácio (PDT) e esteve com a militância socialista em um encontro no salão do Hotel Marlen, onde se hospedou. O deputado propõe uma frente progressista para as eleições de 2022.

Comunicação

Em comemoração ao Dia da Imprensa o prefeito José Bonifácio (PDT) anunciou a retomada do Prêmio Comunicação. 2012 foi o último ano da premiação. Em época de crise aguda é uma excelente notícia para a mídia local.

Aplausos

O deputado Sérgio L. Azevedo vai acompanhar Bolsonaro e mudar de “mala e cuia” para o PL do mensaleiro Waldemar da Costa Netto. Deve ser em nome da moral e dos bons costumes.

Escolha

Waldemar da Costa Netto esteve preso na crise do “mensalão” e segundo a grande mídia também andou conversando com o ex-presidente Lula. Tudo leva a crer que preferiu Jair Bolsonaro.

Ampliando laços

No campo do PDT, Janio Mendes, apoiado pelo prefeito José Bonifácio (PDT) não para um instante sequer. O candidato do PDT a Assembleia Legislativa extrapola a Região dos Lagos e busca apoio na Região Metropolitana do Rio de Janeiro.

Informalidade eleitoral

Como Aquiles Barreto (PSD) é candidato a deputado federal e secretário do prefeito Eduardo Paes (PSD) para articulação política na Zona Metropolitana é bem possível a dobradinha informal com Janio Mendes (PDT).

Em Bangu

Glaidson Acácio definitivamente não está entre as Pirâmides de Gizé, tomando chá com Queóps, Quefrem e Miquerinos ou no Vale dos Reis ou ainda no Cairo, atual capital do Egito. O faraó se encontra devidamente acomodado no bairro de Bangu e de lá não sai tão cedo.

Sem solução

A turma das passeatas, carreatas e concentrações pedindo a liberdade de Glaidson Acácio e a volta da GAS anunciou que procuraria o Ministro da Justiça e o Presidente da República. Pelo jeito o encontro não aconteceu e se aconteceu não resolveu bulhufas. O “faraó” continua preso e nada de grana.

POLITICAGEM

O Coreto!

As datas comemorativas sempre servem para dar uma arrumada no visual da cidade. Assim foi com o coreto da Praça Porto Rocha, lavado, pintado e certamente pronto para outra. O 13 de Novembro foi uma festa!

Politicagem

A baixa política, isto é, a politicagem mais rasa prolifera nas redes sociais da internet, em relação a política cabofriense. A tônica é a agressividade desmedida, a desinformação e a eliminação de qualquer barreira de civilidade. É a marca da extrema direita.

Expansão

Janio Mendes, candidato a Assembleia Legislativa com o apoio do governo de José Bonifácio, circula também pelos municípios da Baixada Fluminense. Não deixa de ser uma reação a presença de candidatos da Baixada Fluminense, na Região dos Lagos.

Milagre!

Só um milagre eleitoral reelege o governador Cláudio Castro, figura política bastante inexpressiva no cenário do Estado do Rio. No processo eleitoral quando sua derrota estiver definida qual será o comportamento dos candidatos de extrema direita?

Bandeira Azul

A Bandeira Azul foi novamente erguida na Praia do Peró para 2021/22. A cerimônia foi realizada ontem, quinta, 25, com a presença do prefeito José Bonifácio (PDT). A premiação internacional é dedicada ao reconhecimento da gestão sustentável de praias, marinas e embarcações de turismo, e ficará exposta na praia até 1 de novembro de 2022.