O SECRETARIADO!

O secretariado

O presidente eleito José Bonifácio começa a anunciar amanhã os nomes do secretariado. Tudo leva a crer que um dos pontos chaves, a secretaria de governo, que estabelece as relações políticas e com o legislativo, vai cair no colo do ex-presidente da câmara, Aquiles Barreto.

A aliança com Aquiles

Segundo fontes da equipe do prefeito eleito a aliança com o grupo de Aquiles Barreto foi fundamental na estruturação da coligação. Aquiles, inclusive, foi o coordenador da campanha, posto que seria de Rafael Peçanha e que parece não ter assumido por questões de saúde.

Mudança na estrutura

As paredes murmurantes do Palácio Tiradentes e do histórico prédio da câmara registram que a própria estrutura administrativa da prefeitura vai ser modificada por José Bonifácio. O organograma deve passar por um processo de emagrecimento: vai perder algumas arrobas.

Qual o futuro?

No meio político, muita gente pergunta sobre o futuro do ex-deputado federal Paulo César Guia. Apoiou o candidato derrotado Sérgio L. Azevedo e não conseguiu se eleger vereador, na tentativa de retomar sua carreira. Foram duas derrotas aliado a um candidato do bolsonarismo.

Fragilidade política

Certos candidatos disputaram o mandato de prefeito na tentativa de criar uma negociação política, gerando prestígio para assumir algum cargo comissionado no novo governo. Como a eleição polarizou, a votação desses candidatos foi muito pequena, deixando-os em demasiada fragilidade política.

O barulho diminuiu

O barulho dos “sem votos” se não cessou, ao menos baixou o tom, está mais suave. A fala do ministro Barroso, presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) deve ter jogado um balde de água fria no ânimo do pessoal. Quem sabe os dois mosqueteiros Cláudio Mansur e Dirlei Pereira encontram uma nova sacada jurídica?

Reeleição difícil

A própria reeleição Sérgio L. Azevedo está em jogo. Eleito deputado, em 2018, na tsunami bolsonarista, tomou uma coça eleitoral, da ordem de 11 mil votos, dois anos depois, em Cabo Frio. Caso a maré bolsonarista continuar em refluxo e o deputado não se abrigar no Centrão, vai ter muita dificuldade para se reeleger.

Sem reeleição!

O Centrão depois de idas e vindas é a base política de Bolsonaro. Os radicais de extrema direita, contavam com a expansão política, mas não ganharam praticamente nada nessa eleição, inclusive aqui em Cabo Frio. Muitos defensores do “escola sem partido” e de massacre contra a escola pública não conseguiram a reeleição.

Compartilhe:
RSS
Follow by Email
Facebook
Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *