A derrota da reação

Muita gente dizendo que Cabo Frio derrotou o conservadorismo com a eleição de José Bonifácio. Calma! Interpretação errônea. Cabo Frio, com a eleição de Zezinho, venceu uma candidatura reacionária, que em nível nacional apoiava o bolsonarismo e tudo de perverso, que isso significa. E ficamos por aqui: certo?

Viva Ulisses Guimarães!

Muita ansiedade no meio político em relação à escolha do secretariado, especialmente a secretaria de educação, que é um dos maiores “abacaxis” da administração municipal. Uma coisa é certa, o prefeito não vai nomear alguém, que não tenha condições de demitir. Parece pouco, mas não é.

A Câmara

A nova câmara de vereadores não é melhor, nem pior, que em outras legislaturas e de alguma forma, bem ou mal, representa a sociedade cabofriense. A câmara inclui a periferia, tão pouco reconhecida, como ator político, principalmente pelos moradores do Centro, que se acreditam como os únicos formadores de opinião.

Quem será?

O importante é que o governo saiba escolher peças chave para negociar politicamente e formar maioria. A escolha de um secretário de governo com boa passagem entre os vereadores e capacidade de articulação política é fundamental. Uma boa relação com a câmara ajuda muito qualquer prefeito.

Fim melancólico

No melancólico fim de governo de Adriano Moreno não se vê mais a onipresença do ex-secretário de fazenda, Antônio Carlos Vieira, mais conhecido na província por Cati, uma das figuras exponenciais da “República do Edifício das Professoras”. Qual será a herança política do presidente do Democratas de Cabo Frio? Respostas para a redação.

Indagações

Muita gente pergunta qual o destino político de Adriano Moreno? Tentará eleição para deputado estadual, em 2022 ou vai abandonar, em definitivo a carreira política? O seu parceiro na prefeitura, Antônio Carlos Vieira volta para o mercado financeiro?

Novela

A Família Bento aos “trancos e barrancos” conseguiu manter sua presença política na cidade, embora decadente. O patriarca Silas e seu filho Vanderson obtiveram habeas-corpus, deixaram a prisão, acusados de “rachadinha” e conseguiram a eleição de Vanderson para a câmara de vereadores. Ainda não se sabe o fim dessa intrincada novela.

O objetivo é 2022

O deputado Sérgio L. Azevedo, no final do processo eleitoral para prefeito de Cabo Frio, já estava fazendo a campanha de reeleição para a Assembleia Legislativa (ALERJ), em 2022: divulgou o seu nome com bastante intensidade e no finalzinho, com a derrota definida, abrandou o discurso.

Finalmente amadureceu?

O texto de Alair Corrêa nas redes sociais, conclamando o deputado Sérgio L. Azevedo a colaborar com o novo prefeito, revela seu amadurecimento político e pessoal. Quando deputado, líder do PSDB, na ALERJ, fez de tudo para impedir a administração de José Bonifácio, conseguindo inclusive romper o convênio de Cabo Frio com o governo do estado (Marcelo Alencar) para a estrada Cabo Frio/Búzios. Finalmente, cresceu?

Compartilhe:
RSS
Follow by Email
Facebook
Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *