RITMO LENTO – Fábio Emecê (*)

Ritmo lento

estamos cientes

não assuma responsabilidades

estamos doentes

abraço de gente desconhecida

só conforta

porque elas não nos conhecem

querem andar onde não se reprova

porque o critério

já tá definido

o autônomo

é ser partido

na era

dos salvadores espectrais

grotescos

são formas astrais

com aparência

de totêmica

esperam as sucursais

com matérias

de artistas

num território em decadência

não há sapiência

lúdicos

são o últimos da fila

pra não atrapalhar a triagem

bobagem dita

vira diretriz

pra próxima ação

em praça pública

meia dúzia

leu a tese

ninguém entendeu

a súplica

rubrica

pra se formar

mais um artigo

sem bucho

luxo

é se encontrar

sem nicho

sem base

caquético

sujo

acreditando

que mobiliza algo

que representa algo

na engrenagem

calço

coerência

salvo

no sufoco…

(*) Fábio Emecê é Poeta, Mc e Professor.

Compartilhe:
RSS
Follow by Email
Facebook
Twitter

Um comentário em “RITMO LENTO – Fábio Emecê (*)”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *