CONHECE A EMPRESA A QUAL VOCÊ CONSOME?

By: Marcelo de Paula – fotógrafo/cineasta Código Solar Produções

marcelodepaula.codigosolar@gmail.com

Se a intenção for realmente começar agir para salvar o Planeta em que vivemos, essa é a pergunta primordial a ser feita: conhece a empresa a qual você consome produtos?

Se você não se importa com o tipo de ação da empresa a qual seu dinheiro está sendo aplicado, acho que nem precisar continuar lendo o texto. Ou talvez seja melhor ler o texto e mudar de opinião e atitude!

Anos atrás eu também não me importava com essas questões, mas o conhecimento abre a mente e o ativismo faz você repensar na vida como um todo, ao ponto de realmente querer mudar seus hábitos para salvar regiões, ecossistemas e espécies da fauna e flora. Repensar nas ações para realmente tentar salvar o Planeta!

Figuras públicas de importância histórica fizeram isso e muito mais! O advogado pacifista, Mahatma Gandhi, por exemplo, boicotou vários produtos ingleses para libertar a Índia. Chá, algodão, sal etc.

Ao que tudo indica, a prática funciona!

Uma das primeiras empresas que comecei a boicotar foi a Shell! Não usava combustível, óleos ou qualquer outro produto da empresa. Não frequentava nem mesmo suas lojas de conveniência.

O motivo do boicote dizia respeito à indevida exploração de petróleo que a Shell fazia nos EUA, mais precisamente no Estado do Alasca. Na frágil região do Ártico. Como o nome de origem grega define: árktikós, relativo a urso; ou arktos, urso.

Não eram apenas ursos polares que estavam em jogo com a indevida exploração de petróleo. Baleias, focas, renas, bois-almiscarados, raposas-do-ártico, a calota polar, a vegetação da tundra, plânctons e muita água potável.

Assimilei as campanhas do Greenpeace e outras entidades ambientalistas e nuca mais consumi nada da Shell! E o importante no boicote éter absoluta certeza de que você não está sozinho, mas com multidões ao redor do mundo na mesma vigília.

Tanto dá certo, que a Shell parou de explorar petróleo no Alasca! Estamos falando sempre na luta de David (nós a minoria) contra o Gigante Golias (grandes corporações e multinacionais).

E o caso da Shell nem chegou a ocorrer um desastre ambiental específico. Mas vou citar empresas que estão detonando diretamente ecossistemas inteiros e, se você consome os produtos que elas fabricam você é acionista da destruição ambiental, um assassino direto da fauna, sem precisar caçar ou mesmo dar um tiro sequer!

Com 66 milhões de toneladas produzidas ao ano, o óleo de palma ou óleo de dendê é uma das espécies mais cobiçadas do mundo e, justamente por isso, inúmeras empresas vêm extinguindo florestas tropicais inteiras, na extração do óleo.

Para entender melhor, o óleo de palma vem da fruta de uma palmeira originária da África, mas sua abrangência chega até a Indonésia. O chamado Ecossistema de Leuser, que engloba uma área de 2,6 milhões de hectares, onde está situada a maior floresta tropical da Sumatra, um Patrimônio Natural da Humanidade, onde estão refugiados orangotangos, tigres, leopardos e rinocerontes ameaçados de extinção e ainda serve de rota migratória para elefantes.

No Ecossistema de Leuser ainda encontramos duas cordilheiras de montanhas, três lagos, nove sistemas de rios e três parques nacionais, que abrigam inúmeras espécies endêmicas da região.

O óleo de palma está numa série de produtos que consumimos diariamente. Xampus, sabonetes, cremes, tira manchas, chocolates, torradas, sorvetes, biscoitos, margarinas entre outros. E eles estão financiando o desmatamento dessas regiões.

As gigantes que vêm operando com óleo de palma, sem se preocuparem com a origem da extração, se é extração de palmeiras de manejo florestal ou extração ilegal, são: Nestlé; Hershey´s; Mars; PepisCo; Unilever; MacDonald´s; Procter & Gamble; Kellogg´s etc.

Entre os principais produtos que mais se beneficiam do óleo de palma ou dendê, podemos citar: Nutella; Aveia Quaker; Doritos, Batata Ruffles e Cheetos; Batatas Pringles; Sucrilhos Kellogg´s e Nestlé; Sopa Knorr; Torradas da Bauducco; Margarina Qualy; todos os sorvetes da Nestlé; Biscoito Passatempo; Miojos da NissinLámen; Bolos da Panco; chocolates Snickers, KitKat e M&Ms; produtos de beleza da Aussie, Pantene, Head &Shoulders e Dove; Vanishetc. E se ficar atento ainda vamos ter o óleo de palma em detergentes, pizzas prontas e mais um monte de produtos que passam desapercebidos, se você não quiser se engajar no boicote!

Somados a essas empresas, a União Europeia criou uma equivocada política de energia renovável, a qual a mistura do biodiesel na gasolina e no óleo diesel é obrigatória desde 2009. Onde se lê biodiesel pode-se traduzir para óleo de palma!

Mais uma vez, as entidades ambientalistas estão à frente para tentar reverter esse desesperador quadro de destruição florestal e assassino coletivo em massa dos animais de Leuser.

Por pressões ambientais, a União Européia havia se comprometido de excluir o óleo de palma como biocombustível em 2021, mas infelizmente adiaram para 2030. Várias empresas citadas acima, também foram acionadas juridicamente, obrigando-as a parar de apoiar a extração predatória do óleo de palma. Obrigando-as a só comprar o óleo de empresas certificadas legalmente. Muitas dessas empresas mentem, dizem que tomaram tais medidas conservacionistas em relação ao óleo de palma e são flagradas com imagens de satélites, acompanhando o movimento ilegal das extrações e para onde são efetuadas as grandes vendas!

Tudo é muito difícil contra essas organizações poderosas!

O boicote direto a essas empresas é a primeira e mais forte ajuda, para reverter essa terrível destruição. O bolso dói mais do que a consciência no mundo capitalista, vide fatos relacionados à Shell.

O consumidor não sabe, mas ele é o Rei dos Predadores na cadeia capitalista. Então passe a ler as letras minúsculas dos produtos consumidos, cozinhe com óleos de milho, girassol (não modificados), azeites ou produtos alternativos, como óleos de coco, de babaçu e até mesmo dendê de produções artesanais. Assine petições contra essas e qualquer outro tipo de aberrações mundiais, escreva e comente sobre esses temas, pois poucas pessoas têm acesso a tais informações.

Se possível, ande menos de carro, consuma produtos orgânicos, incentivando à agricultura familiar e ao manejo florestal. Levante sua voz contra as grandes responsáveis pela morte ambiental que assola o Planeta Terra.

Se a leitura não tocou seu sentimento conservacionista, tenho uma péssima notícia: a floresta do Gabão, onde os Gorilas vivem, já começou a ser devastada com a sua ajuda, em continuar a consumir óleo de palma indiscriminadamente!

Eu faço a minha parte e você?

Compartilhe:
RSS
Follow by Email
Facebook
Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *