ANTÔNIO ÂNGELO, LEVADO AO CÉU PELOS PASSARINHOS, PARTIU ANTES DO COMBINADO.

Em plena pandemia estou revisitando os editoriais do Blog e o reencontrei. Datado de 24 de maio de 2019, fala de um amigo tão importante para a nossa cidade, que vai ficar no afeto de todos que amam Cabo Frio.

De acordo com o humor e a importância do momento vários temas se revezaram nos editoriais do ‘Momento’, ‘Jornal do Totonho’ e finalmente ao ‘Blog do Totonho’, entretanto, um deles permaneceu todo esse tempo: o meio ambiente.

Muito influenciado pela persistência e sabedoria do fotógrafo e ambientalista apaixonado, Antônio Ângelo Trindade Marques, meu ex-aluno no pré-vestibular, no Rio de Janeiro e emérito “matador de aula”. Nos bares vizinhos ao curso fazia sucesso com as garotas mais descoladas da Zona Sul: o “galã”!

Em Cabo Frio, nos reencontramos, ambos com a cabeça quase totalmente branca, debatemos e brigamos muito. Antônio Ângelo tinha o mau humor mais engraçado que conheci e imensa capacidade para cativar amigos, em qualquer nível da injusta escala social brasileira.

Rolando Boldrin, o trovador da música caipira diria, se o conhecesse, “Antônio Ângelo levado ao céu pelos passarinhos, partiu antes do combinado”. Saiu de cena, deixando grande lacuna, na luta pelo estudo, conservação ambiental e os amigos sem chão.

Quem sabe os passarinhos quiseram preservá-lo das ameaças que pairam sobre o Parque Municipal da Boca da Barra e lá dentro suas paixões: a Ilha do Japonês e a Praia da Barra, a velha senhora tão maltratada por aqueles que dela querem extrair tudo, inclusive a beleza.

Compartilhe:
RSS
Follow by Email
Facebook
Twitter

Um comentário em “ANTÔNIO ÂNGELO, LEVADO AO CÉU PELOS PASSARINHOS, PARTIU ANTES DO COMBINADO.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *