Desastre!

Um dos candidatos bolsonaristas tenta cativar eleitores cabofrienses com intensa propaganda nas redes sociais da internet. É o mesmo que tentou criar uma CPI, na ALERJ para investigar as universidades públicas, seguindo orientação do ministro da educação Abraham Weintraub.

Mistério!

Nas redes sociais continuam manifestações sobre o possível “Efeito QuaQuá” sobre o processo eleitoral de Cabo Frio. Embora o ex-prefeito de Maricá seja figura importante do PT, no estado, não se sabe ainda de que maneira ele poderia dar ao PT os votos, que ele nunca teve no município. É um mistério!

Fortalecer o SUS

O secretário municipal de saúde, Iranildo Campos, poderia aproveitar que pegou o covid-19 e renunciar ao cargo. O momento é de fortalecer o SUS e é inaceitável trazer OSs para terceirizar a saúde pública em Cabo Frio.

As “rachadinhas”

O secretário municipal de saúde, que é ex-deputado na ALERJ teve o seu nome citado algumas vezes no Jornal Nacional, da Rede Globo. Seu gabinete está sendo investigado por denúncias da existência do esquema de “rachadinhas”.

Trapalhadas

O governo Adriano Moreno/Cati, cada vez mais tem o apoio de Aquiles Barreto e Marquinhos Mendes. O governo tem o mesmo DNA de Bolsonaro e se mete em trapalhadas quase diariamente. Vai disputar espaço com Sérgio Luiz Azevedo.

No campo progressista

José Bonifácio conseguiu montar, com Rafael Peçanha, uma aliança no campo progressista com o PDT, PSB, Cidadania e Rede Sustentabilidade, podendo agregar outras forças políticas. O PSOL, até o momento, ainda está fora da aliança.

Nenhuma novidade

A posição do PT não trás nenhuma novidade. Desde a aliança Alair (“mestre”) para prefeito e Marquinhos (“aluno”) para vice, que o PT foi cooptado: o episódio repercutiu em todo o estado. O partido, em função da bancada nacional, sempre teve bom tempo de TV, no horário eleitoral gratuito, embora nunca tenha conseguido transformar em votos.

De olhos abertos

O que ainda não se sabe é se houver a formalização da aliança com o governo Adriano Moreno/Cati se a executiva do PT, sempre tão ciosa dos seus “direitos” vai querer portarias (cargos comissionados) na prefeitura. De olhos abertos!

Fiscalização rigorosa

Esses acordos em ano de eleições devem ser fiscalizados criteriosamente pela justiça eleitoral, ministério público, pela própria oposição e a sociedade civil organizada. É importante que estejam absolutamente dentro da Lei.

Aposentados & Pensionistas

Afinal, se hoje o governo Adriano Moreno/Cati não cumpre a Lei Orgânica Municipal (LOM) e está sem pagar aos aposentados e pensionistas do IBASCAF, imagina se tiver que empregar ainda mais gente, fruto de acordos políticos. Seria inadmissível inchar ainda mais a máquina pública.

Compartilhe:
RSS
Follow by Email
Facebook
Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *