Notícias falsas X Freixo

As notícias falsas do bolsonarismo tentam desmoralizar o deputado Marcelo Freixo, dos melhores parlamentares do Congresso Nacional. Freixo orgulha o Rio de Janeiro desde os tempos da Assembleia Legislativa.

Substituto?

O “Homem de Meriti”, ex-deputado, policial militar reformado Iranildo Campos está com covid-19? Tem que se afastar para tratamento. Quem o substitui em meio à pandemia?

Abandonando o barco

É evidente que grande parte do meio político está abandonando com “armas e bagagens” a possibilidade de apoiar uma impraticável tentativa do prefeito Adriano Moreno se reeleger. Político não cai no precipício, exceto empurrado.

Aliança complicada

A tendência é a consolidação da aliança entre o Democratas, o PMDB, o PSDB e o PT, ou seja, entre Adriano Moreno e Aquiles Barreto. Problema? A aliança pode ser brecada pela nacional do PT por conta da aliança com o Democratas e o PSDB.

Subnotificação

É evidente que a incapacidade de gerenciar a crise do país gerou uma imensa subnotificação em meio à pandemia do covid-19. Cabo Frio não é um oásis em meio ao deserto. A subnotificação é evidente: os números estão defasados.

PF, carreira de estado?

Embora a Polícia Federal seja uma carreira de Estado há muito se posiciona política e partidariamente nas redes sociais. E o que é pior, sempre pela ultra-direita. No processo de afastamento da presidente Dilma Rousseff isso ficou evidente.

Faltou punição

Delegados da PF, em seus perfis nas redes sociais, zombavam, criavam e divulgavam ataques virulentos, grosserias e muitas notícias falsas. Não foram punidos. Faltou pulso e autoridade ao então ministro da justiça.

Ta virando bagunça

A situação se alastra ameaçando o Estado Democrático de Direito. Comandantes das Forças Armadas divulgam ‘ordens do dia’ de cair o queixo e nada acontece. Ora, quem fala pelas Forças Armadas é o Ministério da Defesa e o Presidente da República. Basta!

Confusão!

A confusão é tal que os juízes hoje falam mais na televisão e nas redes sociais, que nos processos. O comedimento, a discrição, o respeito à ordem legal parecem ter desaparecido.

Falta de pudor

A bagunça geral é agravada pelos privilégios que as Forças Armadas, a “classe política” e o Judiciário desfrutam em meio à crise. A população “comendo o pão que o diabo amassou”, sem que esses estamentos abram mão de qualquer vantagem: vergonha e falta de pudor.

Compartilhe:
RSS
Follow by Email
Facebook
Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *