BALANÇA, BALANÇA E CAI

O governo da dupla Adriano/Cati continua batendo cabeça e pagando “micos” desnecessários, mas como todos os governos da direita rancorosa não liga pra isso. A cara sempre meio “aparvalhada” e “boba” do prefeito, que de bobo não tem nada, contrasta com seu “1º Ministro”, o “gênio das finanças”, Antônio Carlos Vieira, o Cati. Quem bate de frente com ele pode até demorar um pouco, mas cai.

LOBO EM PELE DE CORDEIRO

NA CAMPANHA …

Durante a campanha no programa de governo de Adriano Moreno, na época por sugestão de Cláudio Leitão, constava que o IBASCAF seria administrado pelos servidores municipais. Nada estranho para um político que se elege pela Rede Sustentabilidade e migra para o Democratas.

SOBRE O IBASCAF

Eleitos só José Renato e Jorge Barbosa respectivamente presidente e vice-presidente do IBASCAF. Os outros membros da diretoria, Flávio Cardoso e Gilberto Marques foram indicações do presidente José Renato. Todos destituídos.

ADRIANO FAZ INTERVENÇÃO NO IBASACAF E NOMEIA NOVO PRESIDENTE

O prefeito Adriano Moreno exonerou três diretores, que haviam sido eleitos para o Ibascaf: José Renato Almeida, Jorge Barbosa e Flávio Cardoso, respectivamente presidente, vice-presidente e chefe de gabinete. Antônio Damique Teixeira, mais próximo politicamente do governo, foi nomeado como novo presidente.

GÊNIO DA LÂMPADA?

Parece que esses “micos” perseguem o governo de Adriano Moreno desde o início. É fácil lembrar quando Antônio Carlos Vieira, o Cati foi indicado como gênio das finanças para a secretaria de fazenda. O “gênio”, não seria “da lâmpada”? desgastou-se de tal maneira que acabou “escondido” numa “assessoria especial” e Clésio Guimarães batalha até hoje para manter a secretaria funcionando.

A CRISE DO GABINETE DE CRISE

COTIAS FORTALECIDO

O secretário de turismo Paulo Cotias voltou ao ‘Gabinete de Crise’ e saiu fortalecido politicamente no seu imbróglio com Felipe Araújo, secretário de desenvolvimento. O professor havia se retirado, mas retornou após encontro com Adriano Moreno.

AÇODAMENTO

O discurso do secretário Felipe Araújo, relatado pela matéria da Folha dos Lagos, revela açodamento ao “caronear” o ‘Gabinete de Crise’. Acaba por relembrar os tempos do “velho morubixaba”, que também chegava às lágrimas

PRETENSÕES POLÍTICAS

As paredes murmurantes do Palácio Tiradentes especulam se o secretário tem pretensões políticas. Alguns falam em sentar naquelas magníficas e confortáveis poltronas do Plenário Oswaldo Rodrigues, na câmara municipal. Os mais atentos acreditam que o “pulo” pode ser ainda maior.

A PRESSÃO!

A PRESSÃO!

Carente de apoio político para tentar a reeleição o prefeito Adriano Moreno quase caiu no “canto da sereia” de meia dúzia de grandes e médios empresários. Teria cedido a reabertura das atividades econômicas caso a reação da sociedade não fosse tão veemente.

OS ESTRATEGISTAS

Os “estrategistas” governamentais, tipo Felipe Araújo e Antônio Carlos Vieira, o Cati, tentam encontrar um saída para o descontentamento da opinião pública com o governo e permitir a reeleição. Será que tem gente que até topa mudar de candidato?

BARGANHA?

As paredes murmurantes do Palácio Tiradentes observaram a instrumentalização de um acordo. O apoio político dos empresários em troca da liberação das atividades comerciais e de serviços. Por falta de visão estratégica deram com os burros n’água.

VEXAME!

O governo acerta aqui e logo adiante faz uma bobagem enorme. Aquele “filmeco” do prefeito paramentado dentro do hospital foi um vexame. É preciso que o prefeito não se submeta a esse tipo de constrangimento e o grupo político modere sua ganância pelo poder.