RACHA NO GOVERNO

A pressão exercida por um determinado grupo de médios e grandes empresários, tentando quebrar o isolamento social e horizontal determinado pelas autoridades públicas, causou “racha” dentro do governo de Adriano Moreno. O engraçado, se é que a atitude dos empresários teve alguma graça, é a “mudança” de postura, diria que radical, quando ficou clara a rejeição da opinião pública.

PRA “LIMPAR A BARRA”?

O documento dos empresários tenta “limpar a barra” da atitude impensada e gananciosa, travestida do discurso bolsonarista de preservação de empregos. Enquanto sobra ganância e prepotência falta a essa elite econômica um pouco de leitura e observação do que acontece no planeta.

Preocupados com a recessão? Ora, ela já está dada globalmente e o novo corona vírus apenas a aprofundou. Portanto, se o comércio de Cabo Frio abrir as portas não vai mudar nada, talvez diminuir a margem de lucros e obrigar esses empresários a sacar da obesa poupança.

O governo, sempre tão restritivo em ajudar os trabalhadores, está abrindo seus cofres para os bancos (sempre eles), financiando as empresas a juros perdidos no espaço e no tempo. Portanto, senhores, fiquem tranqüilos, não vão morrer de fome, como muitos brasileiros que tiveram a Bolsa Família cortada por esse governo genocida.

Acatem as medidas restritivas de isolamento social e respeitem o povo ao menos uma vez na vida.

FIQUE EM CASA – Tita Calvet (*)

Parece que só a Comsercaf não está preocupada… não foi legal!! 35 milhões para uma única empresa? Será que Cabo Frio só precisa de vassoura? Quem sabe uma boa vassourada? Aí a conta fecha!!! Realizada dia 24 de março, pelo prazo legal da lei de licitações teríamos início das operações em maio, média de 5 milhões/mês até dezembro, para uma única empresa.

Licitação cancelada ou não, o orçamento existe. Desde que o governo assumiu, o que se ouviu dizer foi que a cidade de Cabo Frio está falida. Vale ressaltar que o orçamento do ano 2020 foi aprovado em 2019, certo? Foi aprovado pelo atual governo que me parece não estar preocupado. A preocupação é uma só, a quase impossível reeleição, tal o desgaste junto à opinião pública.

Com uma pequena parcela do valor absurdo da licitação, o Hospital da Criança poderia ser reaberto, entre tantas demandas da população.

A nota para o governo, só pode ser ZERO!

Estamos em quarentena, fique em casa e cuide de sua família e de todos que você ama.

Outubro está chegando: então vai poder dar a sua resposta e construir uma cidade, que mesmo que não seja perfeita, será mais acolhedora para todos nós.

 (*) Tita Calvet é engenheira.

GUERRA DOS MUNDOS – Rogério Carvalho (*)

No último dia 26 completamos um mês desde a confirmação do primeiro caso de Covid-19 no Brasil. Neste período registramos 77 mortos, 2915 infectados e os números não param de crescer, como já previsto pelos especialistas em epidemiologia. Mas o que não podíamos prever era que a luta contra esse microscópico inimigo escancararia diante dos nossos olhos tantos conflitos nos mais variados aspectos do cotidiano.

Na verdade, o impacto da chegada da pandemia foi tão forte que nos fez parar para pensar na própria condição humana, tanto pela fragilidade do nosso organismo quanto pela força que a humanidade pode mobilizar ou não para garantir o bem comum.

A pandemia, que tem feito mais vítimas fatais entre os idosos, pôs de cama o jovem, vigoroso e arrogante neoliberalismo, deixando as mãos antes invisíveis do mercado infectadas e visivelmente manchadas pelos fluidos asfixiantes da concentração de renda e da indiferença que lhe é peculiar. Uma vez contaminado o organismo social, nossas fraquezas se evidenciaram e se potencializaram, revelando além da falta de anticorpos, a importância da higienização das nossas relações sociais, sejam interpessoais ou de trabalho.

O cérebro globalizado não pode prever que no alvorecer do século XXI, um microrganismo arrancaria do subconsciente da humanidade verdades desconfortáveis que as ilusões do capitalismo insistiam em manter adormecidas.

Agora, uma vez conscientes, somos forçados a assumir diante do espelho da condição humana, a responsabilidade pelo nosso próprio desequilíbrio.

(*) Professor de História.

ISOLAMENTO VERTICAL!

Esse cartoon mostra com clareza a posição desse pessoal que defende o isolamento vertical de Bolsonaro e da extrema direita. Apesar do discurso que estão preocupados com desemprego, a verdade é que não querem abrir mão dos seus lucros. A recessão é mundial, precede o covid-19, que a aprofundou. O momento agora é ampliar a intervenção do Estado e salvar vidas.