PEQUENAS DOSES

A Crise!

Mesmo em crise econômico-financeira as prefeituras da Região dos Lagos vêm conseguindo manter os salários dos servidores municipais em dia, exceto Cabo Frio. O que estará acontecendo?

Que tal a exoneração?

O secretário de fazenda, Clésio Guimarães Faria, reclama da obesidade da folha. Ora, quem inchou a folha de maneira irresponsável? O governo ao qual ele pertence. O secretário deveria pedir exoneração.

E ele acreditou!

Alguns observadores da vida política e administrativa de Cabo Frio preservam o atual secretário de fazenda. Afirmam que os erros, que comprometeram a saúde financeira da prefeitura foram gerados na gestão de Antônio Carlos Vieira, o Cati, então considerado um gênio das finanças. E Adriano acreditou!

Tá na hora de “pedir o boné”

Mais uma razão para Clésio Guimarães Faria “pedir o boné” e ir para casa descansar. Quem errou na gestão das finanças, que volte ao cargo para resolver o buraco das finanças públicas municipais.

Agravamento da saúde pública

O agravamento da gestão da saúde pública do município gera insatisfação geral na sociedade, em particular nas camadas mais pobres, que dependem única e exclusivamente da saúde pública. Daí para os seguidos “barracos” …

A greve continua

O Sepe Lagos e o governo de Adriano Moreno ainda não chegaram a um acordo. A assembleia dos profissionais da educação realizada ontem, 31, determinou a continuidade da greve, o que já era esperado.

Causos do Moacir

Comemorando os 30 anos da Folha dos Lagos, o jornalista Moacir Cabral vem resgatando histórias hilárias do jornal, na “velha e boa página 2” do Informe. Com todo respeito aos “Filhos da Folha”, o Informe dos Lagos tem que ser com o avô, Moacir.

Mal começou e já parou.

A barca que liga o centro da cidade com a Gamboa, por meses suspensa, mal deu o ar da graça e parou novamente. Agora a prefeitura alega que está ajeitando o cais. Pergunta que não quer calar: por que não ajeitaram antes?

Cabo Frio, a cidade do “já teve”.

Os moradores da Gamboa, comerciantes e trabalhadores do Pólo de Moda Praia, na “Rua dos Biquínis”, são os maiores prejudicados. A cidade, além da mobilidade, perde mais uma atração turística.

A segurança? Já teve!

Entre os inúmeros bens que Cabo Frio “já teve” está a segurança. É de muito longe o tempo em que se dormia com a janela aberta ou a bicicleta dormia de um dia para o outro na porta de casa, sem problema. Hoje, as empresas de segurança privada vigiam cada esquina e a insegurança é cada vez maior.

Compartilhe:
RSS
Follow by Email
Facebook
Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *