PEQUENAS DOSES

… E foi pra conta do Benedito

A executiva estadual do PCdoB rejeitou a filiação de Alair Corrêa por 4 votos a 1. O único voto favorável foi do velho militante Carlos Quintão, bastante conhecido na política cabofriense. Portanto, como no velho ditado popular “ficou o dito pelo não dito e foi pra conta do Benedito”.

“Aluno” & “Mestre”

No mesmo barco que o “aluno” Marquinhos Mendes, o “mestre” Alair Corrêa também está inelegível. A filiação ao PC do B foi mais um golpe de marketing político, no qual o “velho morubixaba” é imbatível, dando graça à política de Cabo Frio.

Alair e Marquinhos passaram do ponto

Quem sabe, após esse momento de histrionismo, que busca o centro das atenções, a política de Cabo Frio possa se concentrar em debates mais sérios. Os “meninos” Alair e Marquinhos serão obrigados a buscar outros caminhos.

Ato Público, no Largo de Santo Antônio

O Sepe Lagos está convocando professores e demais profissionais da educação da rede pública municipal para Ato Público, hoje, 16, às 17 horas, no Largo de Santo Antônio. O ato visa pressionar o governo de Adriano Moreno para o pagamento dos salários de dezembro e o 13º.

Baixo nível

Passou da hora de lideranças do movimento dos professores darem um basta na troca de acusações e agressões nas redes sociais, motivadas por questões menores de cunho pessoal, que só atrapalham a unidade da luta da categoria. Ações que só beneficiam o governo, que massacra os professores.

De peito aberto

O ex-secretário de educação, Cláudio Leitão, que, reconhecidamente fez uma gestão honesta e inovadora, tem sido agredido e desrespeitado. Leitão é uma voz que não se calou e enfrenta, desde então, o governo Adriano/Cati de peito aberto.

O governo “salvador da pátria” não salva a si mesmo.

A crise administrativa e financeira do governo Adriano/Cati é grave e preocupa o meio político de Cabo Frio. O prefeito que seria o “salvador da pátria” está perdendo o controle e caminhando aceleradamente para o desmantelamento. Péssima notícia para os servidores e para a cidade como um todo.

O recesso salva o governo

A demissão dos contratados na área de saúde pública vai agravar ainda mais os problemas políticos do governo Adriano. A tendência é a relação com determinados vereadores se deteriorar: por enquanto o recesso salva o governo.

Forte nos bastidores

Cada vez mais discreto, o “1º Ministro” Antônio Carlos Vieira, busca fugir dos holofotes da mídia. Não significa, porém, que tenha perdido a essência do poder, ao contrário, a sobriedade o fortalece nos bastidores.

Impopularidade machuca.

Cada vez mais impopular, o governo Adriano/Cati perde dia a dia o pouco da credibilidade que lhe resta. Custa imaginar que vá buscar a reeleição: a continuar assim, os vereadores não vão querer o prefeito por perto.

Compartilhe:
RSS
Follow by Email
Facebook
Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *