A “MOSCA AZUL” PICOU ADRIANO.

A “mosca azul” picou Adriano.

A “mosca azul” picou em definitivo o prefeito Adriano Moreno: garante que é candidato a reeleição sim. Fez cara feia, abandonando aquele velho perfil de paisagem, que sempre marcou sua apresentação em público. Para quem dizia não gostar de política, o menino é uma “boa bisca” como diriam os mais antigos, em especial o Vovô Bibiu.

A rejeição ao prefeito.

A rejeição a figura pública do prefeito de Cabo Frio é bastante evidente, impulsionada pela falta de cuidado com a área urbana e pelos constantes atrasos no pagamento doa funcionalismo público municipal. Não que este atraso seja “privilégio” desse governo, porque tanto Alair quanto Marquinhos, nos dois últimos mandatos também atrasaram e com grande freqüência.

A rejeição não é só de Adriano.

A ascensão da figura de Antônio Carlos Vieira em detrimento de outros personagens que participaram com muito mais intensidade da campanha, gerou também rejeição por parte da opinião pública. O então secretário de fazenda não conseguiu acertar as finanças da prefeitura e no momento exerce o cargo de assessor especial do prefeito, blindado pela “oportuna” reforma administrativa.

Conservadores X Progressistas

O ex-secretário de fazenda, pouco afeito a administração pública, conservador e tecnocrata, bateu de frente com a dupla da secretaria de educação, ambos de perfil progressista: Cláudio Leitão e Denize Alvarenga. O governo caminhou ainda mais para a direita e entregou a secretaria ao grupo político de Marquinhos Mendes.

Vai ter briga.

Apesar da aparente calma, a movimentação política de olho espichado em 2020, é intensa e mexe com os “cabos eleitorais”, vereadores e candidatos em geral. A briga é intensa pelo controle sobre os partidos políticos, em função dos tempos em rádio e televisão e para formação da lista (nominata) de candidatos a sentar nas macias poltronas da câmara.

Prefeitura: paga ou não paga?

As lideranças sindicais dos servidores públicos de Cabo Frio estão preocupadas com a capacidade da prefeitura de Cabo Frio pagar os salários nesse segundo semestre. Há quem diga que, se continuar do jeito que está à prefeitura chega ao final do ano devendo dois meses aos servidores, aposentados e pensionistas.

A “pulga atrás da orelha”

Sempre que a InterTV começa a produzir um jornalismo de críticas mais intensas à administração de um determinado município fica a velha “pulga atrás da orelha”. O que está acontecendo? A afiliada da Rede Globo está fazendo o mapeamento dos buracos, nos bairros de Cabo Frio. Por quê? Serviço público? Buraco tem, mas quando a InterTV está mais feliz, não mostra. É ou não é?

Proibição do “cerol” e da “linha chilena”

A proibição de utilização de cerol nas pipas e da comercialização da “linha chilena”, extremamente perigosa pela sua capacidade de corte é projeto de lei apresentado pelo presidente da câmara de Cabo Frio, Luis Geraldo. O cerol e a “linha chilena” têm provocado acidentes gravíssimos, especialmente entre os motociclistas e os ciclistas.

O fim de tarde.

Flávio Rosa, o tabelião surfista, também chamado de “O Homem de Maricá” liderou a mesa, que no final da tarde “encerrou os trabalhos”, no Café Pertutti, no centro de Cabo Frio. Wilmar Monteiro, Manoel Justino, Wallace Pereira, Juninho Nogueira e Laureliz Azambuja completaram os debates sobre a política cabofriense.

Compartilhe:
RSS
Follow by Email
Facebook
Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *