Noticiário local.

O afastamento de Meri Damaceno da secretaria municipal de cultura era esperado após as mudanças a direita feitas pelo governo de Adriano Moreno. Mesmo assim, dominou todo o noticiário local, ofuscando até mesmo a greve dos servidores.

Sem educação, ética e respeito.

Todo prefeito, de acordo com a legislação brasileira, tem o direito de tirar ou colocar indicados para cargos de confiança: o próprio nome já diz – da confiança do prefeito. Até aí nada demais, apenas o óbvio. O processo tem que ser feito com educação, ética e respeito. O governo de Adriano Moreno não observou nenhum desses itens fundamentais.

A cobertura da Folha.

A cobertura da “troca de guarda”, na secretaria municipal de cultura, realizada pela Folha dos Lagos, foi fundamental para o entendimento do processo, que culminou com a saída de Meri Damaceno. O vídeo exibido pelo jornal online expõe as vísceras do governo e das pessoas, querendo segurar e receber as famosas portarias. Jornalismo da melhor qualidade.

Os “manda chuvas”.

O secretário de governo, o vereador Miguel Alencar e o assessor especial, Sérgio Ribamar formam com Antônio Carlos Vieira, o trio de maior influência dentro do governo de Adriano Moreno. Os três tiveram participação direta nas últimas mudanças feitas na equipe e na reforma administrativa.

Guinar a direita.

Quem quiser ficar no governo terá que seguir afinado com esse grupo formado por Antônio Carlos Vieira, Sérgio Ribamar e Miguel Alencar. Os dois primeiros de clara orientação direitista e zeladores da opinião governamental. Ribamar, especialmente, como zeloso fiscal tipo “olhos e ouvidos do rei”. E não estamos na velha Pérsia.

Miguel e Aquiles: a dupla!

Qual o papel do secretário de governo Miguel Alencar? É o mais fácil de ser definido, isto é, como vereador e secretário de governo, cuida de sua reeleição e estabelece a relação entre os vereadores e o executivo. A entrada de Miguel no governo ampliou seu raio de ação e o do vereador Aquiles Barreto.

Além da câmara.

Os dois, Aquiles e Miguel, embora oriundos do grupo de Marquinhos Mendes, tem aspirações políticas para além da câmara de vereadores. A possibilidade de Marquinhos se tornar inelegível não é pequena e aí os “meninos” não recusariam a oportunidade de assumir o lugar do “chefe”.

Violência 1

A violência toma conta de Cabo Frio. A periferia, no Manoel Corrêa, Porto do Carro e no Jardim Esperança, a população tem a exata medida da incapacidade do Estado em oferecer em nível mínimo a segurança pública. Os tiroteios fazem parte da rotina macabra, que não livra a cara de ninguém.

Violência 2

Nesta quarta-feira a área mais atingida foi o Jardim Esperança, apavorando os funcionários do Hospital Otime Cardoso dos Santos. As redes sociais da Internet registraram o diálogo desesperado de trabalhadores da área de saúde temerosos de invasão do hospital.

Tiroteios a dar no pau.

Observadores políticos estão espantados com Adriano Moreno, que parece estar em uma redoma de vidro, tomando conhecimento apenas do que interessa a si mesmo e a uns poucos. A cidade com tiroteios, saúde debilitada e o prefeito pensando em viajar.

Compartilhe:
RSS
Follow by Email
Facebook
Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *