PEQUENAS DOSES

  • Guardas Municipais ocuparam a frente do Palácio Tiradentes, ontem, na parte da tarde. Motivo: atraso no pagamento dos salários. Segundo fontes da prefeitura o atraso se deu por conta do inchaço da folha, da secretaria municipal de educação.
  • Enquanto isso as paredes do Palácio Tiradentes reverberam algumas questões, entre as quais: a arrecadação de receita própria (ISS, IPTU, ITBI e taxas) da prefeitura de Cabo Frio caiu, nesse mês de maio, cerca de 6%. A média acumulada desde janeiro chega a 2%.
  • A regularidade tem sido constante nos últimos mandatos, na prefeitura de Cabo Frio. Alair Corrêa, Marquinhos Mendes e agora Adriano Moreno anunciaram drásticas reformas administrativas. Nelas, cortes de gastos e demissão de pessoal. O interessante é que nenhuma delas foi à frente e “ficou tudo como antes no quartel do Abrantes”.
  • A reforma administrativa a ser votada pela câmara tem algumas percepções diferentes. O governo diz que precisa economizar para pagar a folha e a oposição, que o governo utiliza a reforma como instrumento eleitoral. E se as diferentes percepções caminharem juntas?
  • A câmara aprovou dois projetos de lei interessantes. Um do presidente da Casa, Luis Geraldo, que torna obrigatório o ensino da língua brasileira de sinais (libras), na rede de ensino público municipal. O outro do vereador licenciado e secretário de governo, Miguel Alencar, na área de cultura, reconhecendo oficialmente o grafite como forma de expressão artística.
  • A grande questão que permeia todo o trabalho na câmara de Cabo Frio, entretanto, é a rejeição ou aprovação do parecer técnico do TCE-RJ sobre as contas do ex-prefeito Marquinhos Mendes. Segundo alguns observadores políticos locais o acordo entre o governo Adriano Moreno e o ex-prefeito estaria acertado.
  • Em 2020, Marquinhos Mendes não seria candidato a prefeito por impedimentos relativos à justiça eleitoral, abrindo caminho para a reeleição de Adriano Moreno, mas seria candidatíssimo, em 2024. Rumores oriundos dos cafés e botecos da cidade, dão conta que Marquinhos Mendes não vai cumprir o acordo e virá candidato em 2020, com liminar na mão.
  • A nova secretária de educação, Márcia Almeida, viúva do professor José Francisco da Silveira Júnior, é especialista na área de informática. A secretária tem acompanhado o prefeito Adriano Moreno em visitação a algumas escolas da rede pública municipal.
  • Nomes influentes no Palácio Tiradentes defendem a idéia que o secretário de fazenda Antônio Carlos Vieira tem que ter seu protagonismo minimizado. A hora é de baixar a fervura, esfriar a cabeça e apostar na reforma administrativa.
  • Seguindo o método do velho cacique Alair Francisco Corrêa, o prefeito Adriano Moreno exonerou todos os comissionados. Deixou a turma pendurada e vai chamar um a um e ver quem fica e quem vai pra rua. Resta saber como vão se comportar aqueles que têm prestação alta na praça.
Compartilhe:
RSS
Follow by Email
Facebook
Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *