PEQUENAS DOSES

Ontem, em uma padaria do centro, uma buliçosa jovem senhora contava para as amigas morrerem de inveja, uma viagem que acabara de fazer ao nordeste. Segundo ela, as margens do Parnaíba, ela ouviu o “Bolero de Rebel”: isso mesmo. Ufa! Cantarolou e do clássico ouviu-se uma rancheira.

Até o momento o secretário municipal de esportes, Flávio Rebel, continua aboletado no muro, quase tucano. Não deu nenhuma declaração política sobre o conflito e a saída de Cláudio Leitão do governo Adriano Moreno.

O ex-atleta, prestigiado técnico de futsal e secretário de esportes, foi criado no Edifício Lila, também chamado de “Edifício das Professoras”, junto a Praia do Forte. Nem por isso, acredita-se, foi um “menino das taboas”. Não é?

Atacar a universidade pública é uma das maiores conquistas dos brasileiros. Atacá-la, principalmente nesse momento em que os direitos da população sofrem contestação dos bolsonaristas, é um crime contra o país. Lamento por Cabo Frio que votou em Sérgio Luiz Azevedo e Mauro Bernard.

Wagne (é assim mesmo) Azevedo Simão, um dos vereadores da oposição, conhecido como Waguinho é o vereador da câmara de Cabo Frio, que defende a “escola sem partido”. Em função disso, o vereador teve pesado confronto com a militância do Sepe Lagos. Hoje, se diz aterrorizado com as revelações da CPI do Hospital da Mulher.

Os vetustos corredores da câmara de Cabo Frio ouviram rumores e chiados, que o Aquiles Barreto, novamente tomou gosto pela política e deve ser candidato a reeleição. O vereador é das figuras mais expressivas do grupo de Marquinhos Mendes e filho da ex-secretária de educação, Laura Barreto.

O vereador Vinícius Corrêa, o único dos membros do clã Corrêa, que conseguiu sair vitorioso nas urnas, nas eleições de 2016, é líder do governo de Adriano Moreno, que foi membro da bancada alairzista. O ex-prefeito Alair Corrêa não conseguiu reeleger seu filho, Marcelo Corrêa, que havia sido, inclusive, presidente do legislativo.

Vinícius Corrêa é também membro e relator da comissão de finanças e orçamento, que dará o parecer sobre o julgamento do TCE-RJ, que condenou as contas do ex-prefeito Marquinhos Mendes. O vereador tem sido “vítima” do assédio de outros políticos e jornalistas, interessados em desvendar a posição de Vinícius Corrêa. Como a discrição é uma das características do vereador, muita gente vai ter que esperar até 18 de junho.

O bate-boca entre Cláudio Leitão e o “1º ministro” Antônio Carlos Vieira prossegue nas redes sociais. Os dois se estranharam desde o começo do governo de Adriano Moreno e tudo leva a crer que o desentendimento vai chegar aos tribunais.

Compartilhe:
RSS
Follow by Email
Facebook
Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *