PEQUENAS DOSES

O projeto “Música na Fonte” é bom, mas a secretaria de cultura tem que se preocupar em dotar o Parque Municipal da Fonte do Itajuru, com o mínimo de infra-estrutura. Fica difícil para os artistas e para o público. Não existe sequer banheiro químico. Só boa vontade é muito pouco.

A qualidade e a inovação da cantora e compositora Kéren-Hapuk, como de outras atrações musicais, que brilharam no projeto, merecem tratamento mais profissional por parte da secretaria: artistas e público agradeceriam.

A histórica Fonte do Itajuru, berço das águas de Cabo Frio, em torno da qual foi criado o parque municipal, lamentavelmente continua caindo aos pedaços, sem os azulejos e afundando. Pior, sem qualquer notícia sobre projeto de restauração.

A saída da dupla Leitão/Alvarenga, da secretaria de educação mostra o leme da prefeitura de Adriano Moreno, dando a direção mais a direita, portanto conservadora. É esperar pra ver se a crise de identidade do governo chegou ao fim.

Os demais secretários não têm identidade político-ideológica mais explicitada como a do economista Cláudio Leitão e a professora e líder sindical, Denize Alvarenga. Ambos se afirmam dentro do campo da esquerda.

Caso o secretário de fazenda Antônio Carlos Vieira permaneça e se solidifique no cargo não parece haver disposição para conter o seu avanço dentro do governo. O capital financeiro ampliaria sua hegemonia, dentro da prefeitura.

O projeto de maricultura, no Peró, parece ter o apoio de grande parte da comunidade de pesca, embora existam algumas críticas ao projeto, que foram esboçadas na Audiência Pública realizada no Shopping do Peró.

A extrema direita de Cabo Frio e Região dos Lagos participou das magras manifestações em favor de Jair Bolsonaro. A Globo News fez um mapa comparativo com as passeatas pela Educação e o fracasso bolsonarista foi evidente.

Os analistas políticos mostram o evidente refluxo da onda bolsonarista, ultraconservadora, que assolou o país, nas eleições de 2018. Quem apostar na extrema direita, em 2020, pode tomar um “caldo”.

O projeto petista de tomar conta da onda contra Bolsonaro também não funcionou. As pesquisas qualitativas deixam claro que a sociedade (não a militância) quer governo progressista, preservando direitos, mas com grande responsabilidade. O país “encheu o saco” de pitís e siricuticos.

Compartilhe:
RSS
Follow by Email
Facebook
Twitter

Um comentário em “PEQUENAS DOSES”

  1. Boa noite, meu querido Totonho.
    Assino embaixo do que disse sobre as condições da Fonte, necessitando restauração, assim como concordo que o projeto ” Musica na Fonte” deva oferecer melhor estrutura para público e artistas. Nosso grupo está há menos de 10 meses à frente da Secretaria e, como todos sabem, pegamos todos os espaços sucateados, necessitando obras, restauros, etc, etc.. Não se entrava na Fonte, tal estado de degradação. Não tinha luz, pessoas limpando, internet… estamos, com esforço e paciência, e a concordância dos artistas, nossos parceiros, reativando o Parque.
    Todos os eventos foram feitos com o cuidado de mostrar as condições simples. Para o público e para o artista. Por isso o horário curto, e não venda de bebidas. Os banheiros químicos tem sido uma parceria com a Aldeia Criativa, gentil parceria, entendendo nosso gesto em ocupar aquele ESPAÇO . Este evento que aconteceria uma semana antes, foi cancelado pelas fortes chuvas, por isso, o transtorno causado pelas mudanças, terem afetado o evento.
    Estamos tentando. Dando nosso melhor. E contamos com vc para estar nos ajudando a “perceber” o que não está saindo bem.
    Agora, vejo comentários aqui de pessoas que nunca foram ao evento, criticando sem ter tido qualquer experiência. Essas pessoas… para elas não tenho nada a dizer.
    Gratidão por nos acompanhar e nos ajudar com seu olhar sempre crítico construtivo.

Deixe uma resposta para Luciana Branco Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *